Primeiro protótipo do Lancia 037 Rally vai a leilão

Lancia 037 Rally prototipo #SE037-001 View Gallery 6 photos

O 037 foi o último modelo de duas rodas motrizes a vencer o mundial de ralis.

A RM Sotheby’s vai organizar a 15 de junho no Palazzo Serbelloni, em Milão (Itália), um leilão que inclui entre 25 a 30 peças de coleção, onde se inclui este raro protótipo do Lancia 037 de 1980. O leilão online, que será organizado na presença de alguns potenciais compradores selecionados, deverá atrair colecionadores que estarão presentes ao mesmo tempo na região de Milão para o início da edição de 2021 da Mille Miglia. Estas pessoas poderão ver de perto os modelos propostos a leilão, uma vez que estarão em exibição entre 14 e 15 de junho.

Um dos modelos em destaque é um dos primeiros protótipos de desenvolvimento do famoso Lancia 037 que brilhou no WRC no início da década de 1980. O 037 Rally é feito com base no Lancia Beta Montecarlo Turbo, com assinatura da Pininfarina. O chassis foi desenvolvido por Gian Paolo Dallara, com a supervisão de Cesare Fiorio, na altura o diretor do departamento de competição da Fiat e da Lancia. Fiorio queria um modelo pequeno e com uma curta distância entre eixos, uma mecânica descomplicada, que possibilitasse efetuar reparações rápidas durante as corridas – a substituição da caixa de velocidades demorava apenas 12 minutos, por exemplo -, mas também que possibilitasse a rápida substituição de vários componentes em kevlar e fibra de vidro da carroçaria. Além disso, eram necessários apenas 120 segundos para remover o capot traseiro para aceder livremente ao motor. Efetivamente, o 037 seguiu na peugada do Fulvia e sobretudo do Stratos (que venceu o título mundial por três ocasiões), tornando-se em 1983 no último modelo de duas rodas motrizes a vencer o campeonato do mundo de ralis. Com o chassis SE037-001, este foi o primeiro protótipo desenvolvido e produzido pela Abarth. O modelo em questão foi testado em pista e em túnel de vento por Markku Alen, Adartico Vudafieri e Giorgio Pianta, pilotos de fábrica da marca italiana.

O protótipo possui uma carroçaria e um interior de formato provisório que não é igual à do modelo final. Entre as diferenças mais evidentes, destaque para as óticas dianteiras de formato circular de tamanho diferente, para as saídas de ar com grelhas provisórias no capot e para os para-choques traseiros mais redondos e sem a tradicional grelha preta. As entradas de ar traseiras e o enorme spoiler traseiro fixo são semelhantes aos elementos que foram usados ​​no modelo final, mas não idênticos. Já no interior encontramos um painel e vários comandos típicos de um modelo ainda em fase de desenvolvimento. Foram construídas 20 unidades de competição.

Na altura, apesar do advento dos modelos do Grupo B, o grupo Fiat optou por uma configuração tradicional de tração traseira e motor central. Em 1982, este modelo estreou-se ostentando as cores da Martini Racing no regressado Rali da Acrópole. Apesar da vitória desse ano ter sido para a francesa Michèle Mouton (ao volante de um Audi quattro), o título mundial não fugiria ao Lancia 037 pela mão de Walter Röhrl. No final da sua carreira, o Lancia passou para o engenheiro Sergio Limone que supervisionou o desenvolvimento do 037 na Abarth e o restaurou meticulosamente o carro para a sua especificação original, incluindo o motor de 1995 cc de quatro cilindros em linha, com quatro válvulas por cilindro, duas árvores de cames à cabeça e com compressor volumétrico, derivado do 131 Abarth, capaz de debitar de 280 a 310 cv às 8000 rpm.

Este protótipo já foi presente a leilão em 2016 pela Bonhams, contudo ninguém cobriu os cerca de 400 mil euros da base de licitação. Agora, estima-se que este Lancia 037 possa ser arrematado entre 700 e 900 mil euros.

Deixe uma resposta

*