Recorde de velocidade máxima do SSC Tuatara provoca dúvidas

SSC Tuatara

A proeza foi posta em causa por vários internautas que encontraram divergências nas provas.

Depois de ser anunciado que o novo SSC Tuatara havia quebrado o recorde de velocidade máxima num modelo de produção (508,73 km/h), alguns “petrolheads” decidiram investir algum tempo a analisar minuciosamente o vídeo publicado. Utilizando comparações com o anterior recorde detido pelo Koenigsegg Agera RS (447,19 km/h) e fazendo alguns cálculos matemáticos chegaram à conclusão de que a proeza coloca algumas dúvidas.

Em jeito de resposta, Jerod Shelby, o fundador da SSC North America, decidiu emitir um comunicado oficial que justifica as discrepâncias assinaladas pelos internautas. Nessa explicação, Jerod começa por assinalar que os instrumentos e sensores utilizados pertencem a uma empresa externa intitulada Dewetron que ainda não chegou a validar quaisquer dados relativos ao teste. Quanto às divergências entre a velocidade real do carro e a assinalada no GPS, o responsável pelo construtor norte-americano admite que ocorreram erros na parte da edição do vídeo que provocaram uma diferença significativa entre ambos. No que diz respeito às relações do diferencial e da caixa de velocidades, o comunicado refere que foi criada uma versão “Top Speed” com relações de caixa ligeiramente mais longas, que permitem atingir uma velocidade máxima superior à que seria possível com todas as especificações originais.

Apesar da explicação um tanto detalhada, a verdade é que não foram esclarecidas todas as dúvidas indagadas pelos cibernautas. Como acrescento, o próprio piloto que conduziu o SSC Tuatara, Oliver Webb, veio revelar através das suas redes sociais que “eu não tive quaisquer informações acerca da tentativa, estou a saber de tudo posteriormente através da internet”. Até ser oficialmente confirmado pelas entidades competentes, este novo recorde de velocidade máxima num modelo de produção terá de aguardar a sua aprovação. É certo que, até lá, irá decorrer muita especulação…

Deixe uma resposta

*