Próximos Audi A4 e A6 serão os últimos com motores térmicos

Audi e-tron GT

No plano da marca de Ingolstadt, o A8 e o A1 Sportback poderão ficar pelo caminho.

O patrão da Audi diz que a próxima geração da dupla A4 a A6, a lançar em 2023, será a última ainda a utilizar motores térmicos. Em entrevista à alemã Manager Magazin, Markus Duesmann adianta que esta nova geração das berlina já contará com versões elétricas (com um visual não muito diferente das versões térmicas) e que na tal geração seguinte, a lançar no final da presente década, os dois modelos transitarão para motores 100% elétricos – tal como restante gama da marca. Apesar de confirmar que a próxima geração do A4 e do A6 terão opções com motor híbrido plug-in, o homem-forte do emblema dos quatro anéis considera que os PHEV se tornarão obsoletos a médio-prazo e que os governos deixarão de incentivar a compra destas soluções parcialmente eletrificadas assim que os modelos 100% elétricos se tornarem mais populares. O A4/A6 contarão com os préstimos de motores que vão do 1.5 TFSI ao V8 4.0 TFSI biturbo.

Duesmann acredita que uma transição rápida para uma gama totalmente elétrica será fulcral para a Audi. Acerca do elétrico Project Artemis, que será a próxima referência tecnológica da marca de Ingolstadt, o gestor adiantou que não será uma berlina para posicionar acima do A8 nem um SUV maior do que o Q7 – antes sim um modelo mais acessível. Previsto para 2024, o novo projeto (que é encabeçado por Alex Hitzinger, antigo responsável pelo desenvolvimento de condução autónoma do Grupo VW e que também passou pela Apple) será antecipado por um protótipo já no próximo outono a revelar no Salão de Munique que substituirá o Salão de Frankfurt.

Com esta anunciada viragem para a eletrificação pura até 2035 (na imagem o e-tron GT concept), levantam-se dúvidas acerca de alguns dos modelos nos extremos da gama atual da Audi. A berlina de topo A8, cuja atual geração foi lançada em 2017 e que deverá ser alvo de um facelift em 2021, poderá não ter sucessão em 2024 no final do seu ciclo. Resta saber se o seu sucessor “indireto” será o Artemis ou um membro da família e-tron de caraterística similares.

No extremo oposto da gama, o A1 Sportback também poderá ficar pelo caminho. A forte presença do grupo VW neste segmento, com modelos como o VW Polo, Seat Ibiza e Skoda Fabia poderá fazer com que a Audi se concentre em propostas mais “upmarket”. A segunda geração do utilitário foi lançada em 2018 e deverá permanecer em catálogo até 2025. Contudo, ao contrário do A8, o sucessor do A1 já está a ser debatido.

Deixe uma resposta

*