Niki Lauda sobrevive a transplante

View Gallery 3 photos

Niki Lauda, tricampeão do mundo de Fórmula 1, foi internado de urgência após um episódio de suspeita de gripe, enquanto passava férias na sua casa de Ibiza, Espanha. A tosse persistente levou o austríaco, atual presidente não-executivo da equipa Mercedes, a consultar um especialista que recomendou o internamento imediato num hospital em Viena.

Foi sob a orientação do chefe de cirurgia torácica do hospital Allgemeines Krankenhaus (o hospital central da capital da Áustria), Walter Klepetko, que Lauda recebeu um transplante pulmonar. As complicações de saúde do antigo campeão do mundo pela Ferrari (duas vezes) e pela McLaren, resultam do grave acidente sofrido em 1976, no Grande Prémio da Alemanha.

Na altura, depois de se despistar a seguir ao “kink” de Bergwerk, Lauda esteve muito tempo exposto às chamas que emergiram do seu carro, inalando demasiados gases tóxicos em consequência e ficando com queimaduras graves na cabeça. Foi, na altura, submetido a várias intervenções, incluindo frequentes aspirações de líquido contaminado dos pulmões.

O hospital de Viena confirmou, agora, que o transplante foi a resposta a “uma afetação severa dos pulmões”. A operação foi um sucesso, de acordo com o chefe de equipa, que pediu em seguida “compreensão para o facto de não serem divulgados mais detalhes, por respeito com a privacidade da família”. O seu estado ainda inspira observação, mas está fora dos cuidados intensivos.

Niki Lauda passou pelo terceiro transplante da sua vida, depois de ter recebido um rim da segunda mulher, Birgit Wetzinger, na sequência de um primeiro transplante renal, vindo do seu irmão, ter falhado. Lauda tem dois filhos do primeiro casamento com Marlene Knaus, com quem viveu entre 1976 e 1999, depois de se terem conhecido em Maranello. Tem também um filho de uma relação extraconjugal e, mais recentemente, dois filhos gémeos que resultaram da relação com Birgit Wetzinger.

Deixe uma resposta

*