Venda de carros novos cai 14% em setembro

Tal como se esperava, a venda de carros novos caiu em setembro

No mesmo período, na União Europeia a quebra foi de 23,5%.

Em Portugal, a venda de carros ligeiros de passageiros novos caiu 14% em setembro. Ainda assim, o nosso país registou uma subida acumulada de 6,5% nos primeiros nove meses do ano, segundo a ACEA (Associação Europeia de Fabricantes Automóveis). Os números desta associação mostram que a venda na União Europeia caiu 23,5% no mesmo período. É a primeira vez que isso se verifica este ano, mas é algo que se justifica devido à introdução do novo ciclo de medições WLTP, que altera a forma de cálculo das emissões de CO2, no início do referido mês. A ACEA desvaloriza esta quebra uma vez que a procura continua com um índice positivo de 2,5%. Aliás, o valor acumulado dos primeiros nove meses deste ano está em linha com as expectativas nos cinco principais mercados europeus (tendo atingido uma subida de 11,7% em Espanha, por exemplo). Agosto, o mês imediatamente anterior à entrada em vigor do WLTP, tinha sido o melhor mês, com um registo positivo de 31,2%.

O grupo Volkswagen, o grupo Fiat Chrysler Automobiles e a Renault estão entre os que mais sentiram a quebra de setembro, a nível europeu. Estes construtores tinham sido dos mais beneficiados no mês anterior. O grupo VW caiu 48% no mês passado (com destaque para a quebra de 67% da Porsche, 60% da Audi e 52% da VW. A FCA teve uma quebra de 31% (sendo que 33% dos registos implicam a marca Fiat e 59% a marca Alfa Romeo). O grupo Renault registou quebras de 27% (com 32% a referirem-se à marca Renault). Ainda do lado francês, o grupo PSA também registou uma quebra de 8%. A Ford caiu 14%, a Toyota 1,2%, a Hyundai 10%, a Nissan 44%, a BMW 7,4% e Mercedes-Benz 12%.

Mesmo com este cenário de quebra generalizada, houve construtores a registarem crescimento, como a Jaguar que cresceu 38%, a Kia 4,3% e a Volvo 3,1%.

Deixe uma resposta

*