Novo JCW GP é o Mini mais rápido e mais potente

Mini JCW GP View Gallery 15 photos

Edição especial de 306 cv e de apenas dois lugares foi desvendada no Salão de Los Angeles.

Com vem sendo hábito na era moderna da marca, a Mini aposta numa edição limitada a 3 mil unidades do JCW GP inspirada no universo da competição, para o topo da gama. O novo modelo mostrado no Salão de Los Angeles, nos EUA, e que chegará ao mercado nacional em março, tem a particularidade de ser o Mini de estrada mais potente e mais rápido de sempre. Com um motor 2.0 de quatro cilindros TwinPower Turbo a debitar 306 cv (mais 75 cv do que o JCW convencional) entre as 5000 e as 6250 rpm e 450 Nm entre as 1750 e as 4500 rpm, acoplado a uma caixa automática Steptronic de oito velocidades com conversor de binário. Anuncia 0-100 km/h em 5,2 segundos e um pico de velocidade de 265 km/h. Para atingir estes valores, a Mini incluiu um turbo maior, injetores diferentes que permitem até 350 bar, pistões e bielas específicas, eixo de transmissão reforçado e um sistema de refrigeração melhorado, que inclui dois radiadores. O JCW GP conta com vias mais largas e uma carroçaria 10 mm mais baixa face ao JCW normal, com elementos e um camber adicional que permitem reduzir o rolamento e melhorar a aderência. Para melhorar a tração do eixo motriz (o dianteiro), foi incluído um diferencial autoblocante mecânico capaz de gerar um efeito de bloqueio até 31% em aceleração. O chassis (com reforços adicionais) e a suspensão (afinada no circuito de Nürburgring) foram alvo de modificações de modo a melhorar o comportamento em curva e a precisão da condução. Assim, inclui molas, amortecedores, barras estabilizadoras, casquilhos, apoios de motor rolamentos no eixo traseiro (de modo a permitir um ângulo de convergência superior) modificados. É preciso também contemplar outras medidas para reduzir o peso do conjunto, incluindo algum equipamento (o ar condicionado é opcional) e a remoção de material de isolamento acústico. Fazendo as contas, o JCW GP pesa 1255 kg, menos 85 kg que o JCW convencional.

Esta versão GP inclui cavas das rodas e para-choques em plástico reforçado a fibra de carbono, asa traseira sobredimensionada, difusor redesenhado que incorpora ponteiras de escape ao centro, logótipo GP na grelha e na tampa da mala, detalhes em vermelho na carroçaria e jantes de 18 polegadas em alumínio forjado com pneus Hankook Ventus S1 evo Z de medida 225/35. Este “pocket rocket” surge ainda com o número do exemplar da edição limitada inscrito no vão dianteiro. Destaque também para os discos de travão dianteiros com 360 mm e pinças de quatro êmbolos. Esteticamente, é possível apenas encomendar o carro em Racing Grey metalizado com teto e capas dos retrovisores em Melting Silver, com inserções em Chili Red nas entradas de ar no capot e no aileron. Esta versão GP é de apenas dois lugares, contando com uma roll-cage. Na dianteira, há duas bacquets com pespontos e logótipo GP nos encostos de cabeça, cintos de segurança vermelhos, uma inscrição com o número do exemplar no tablier do lado do passageiro, um volante revestido em couro Nappa com costuras em vermelho, com a marca das 12h e com patilhas 3D. Existem ainda outros logótipos específicos no interior e um punho da caixa com duas listas em vermelho. O controlo de estabilidade tem três modos de funcionamento: On, GP Mode e Off. Junta-se a isso um escape com uma sonoridade inspirada no universo da competição.

Entre o equipamento de série, o modelo produzido em Oxford, no Reino Unido, inclui um sistema de infotainment Connected com ecrã de 6,5 polegadas (existindo uma opção com navegação, com carregador sem fios para o smartphone e alarme), instrumentação digital, ar condicionado de duas zonas, luz ambiente e decorações específicas.

Deixe uma resposta

*