Dodge brida-nos com 2336 cv de uma só vez

Dodge Charger Hellcat Redeye, Challenger SRT Super Stock e Durango Hellcat View Gallery 66 photos

O trio Challenger SRT Super Stock, Charger Hellcat Redeye e Durango Hellcat promete proporcionar muita diversão em 2021.

A Dodge apresentou de uma só vez um trio de modelos de caraterísticas desportivas. O Challenger SRT Super Stock, Charger Hellcat Redeye e Durango Hellcat têm pelo menos 700 cv cada, reúnem um total de 2336 cv e serão lançados nos EUA em 2021. Numa era em que a eficiência dos consumos e emissões, e em que a cada vez mais fabricantes enveredam por modelos híbridos e elétricos, a Dodge segue um caminho totalmente oposto, tal como a nova vaga de produtos com símbolo SRT e motor supercharged vem comprovar.

Começando pelo mais “fraquinho”, a Dodge revelou o SUV de produção mais potente da atualidade: um inédito Dodge Durango Hellcat (que chega no âmbito do facelift do SUV de três filas de bancos) com 720 cv e 874 Nm debitados do motor V8 6.2 HEMI com compressor, acoplado a uma caixa automática de oito velocidades. O SUV de tração integral anuncia 0-96 km/h em 3,5 segundos, necessitando de apenas 11,5 segundos para efetuar um quarto de milha (402 metros), atingindo uma velocidade máxima de 290 km/h. Como se isso não bastasse, anuncia uma capacidade para rebocar até 3946 kg. De modo a conseguir segurar tanta potência, os engenheiros da Dodge numa suspensão desportiva, jantes de 20 polegadas a “calçarem” pneus Pirelli Scorpion Zero, com a ajuda de um sistema de travagem da Brembo com pinças de seis êmbolos e discos de 401 mm à frente, além de pinças de quatro êmbolos e discos de 351 mm no eixo posterior. Esteticamente, este “super” Durango conta com uma grelha com malha, lábio dianteiro, entradas de ar em forma de boomerang, capot ventilado, spoiler traseiro específico e dupla ponteira de escape sobredimensionada. Por dentro, esta versão desportiva remete para o Challenger, com um novo sistema de infotainment Uconnect 5 com ecrã de 10,1 polegadas, consola central redesenhada, bancos ventilados e aquecidos em couro Nappa com apontamentos em Alcantara e logótipo Hellcat gravado, assim como um volante de fundo plano com patilhas.

O “senhor que se segue” é o Charger Hellcat Redeye com 797 cv e 958 Nm debitados do mesmo motor V8 6.2 supercharged. A receita aplicada é a mesma já seguida no Challenger Redeye, se bem que neste caso a Dodge aproveita para descrever este Charger como a berlina mais potente e mais rápida de produção em série. Este modelo de tração traseira anuncia uma velocidade máxima de 326 km/h, 0-96 km/h em 3,5 segundos e 0-402 metros (1/4 milha) em 10,6 segundos. Este Charger SRT Hellcat Redeye vai estar disponível apenas na configuração de carroçaria alargada Widebody, com jantes em Carbon Black 20×11 com pneus de medida 305/35 e um novo capot com entradas de ar funcionais. A marca norte-americana recorreu a alguns componentes do motor utilizado no Demon e à mesma caixa automática de oito velocidades. Entre as novidades estão um compressor de maiores dimensões, bielas e pistões reforçados, comando de válvulas de alta velocidade, novo sistema de injeção de combustível, sistema de lubrificação melhorado e um conversor de binário atualizado. Novidade é também o SRT Power Chiller, que desvia o canal do ar condicionado do habitáculo para o sistema de admissão, contribuindo para uma refrigeração adicional que pretende melhorar a performance. Outro sistema relevante é Race Cooldown, que permite ao motor funcionar à temperatura ideal, ao manter a ventoinha e circuito de refrigeração em funcionamento – sendo possível ver a temperatura de refrigeração em tempo real através do ecrã central. O interior deste Charger inclui bancos revestidos em couro Laguna (com opção de porções em Alcantara), detalhes em prateado nos bancos e consola central, detalhes em Black Chrome na consola central, velocímetro em vermelho e vários logótipos SRT Hellcar Redeye. Entre o equipamento de série, destaque para o Launch Assist, Launch Control, Torque Reserve e Line Lock.

Por fim, caso a opção recaia por um modelo de três portas, existe também o novo Challenger SRT Super Stock – que é o mais potente deste trio com 819 cv (mais 10 cv do que o Challenger SRT Hellcat Redeye) e 959 Nm debitados do mesmo V8 6.2 supercharged, funcionando em conjunto com uma caixa automática de oito velocidades. Feito com o mesmo espírito do Challenger SRT Demon de 2018, este SRT Super Stock pretende ser o pináculo dos “muscle cars”. Com o seu nome retirado dos modelos de “drag racing”, este novo Challenger de referência é feito com base na variante Widebody. Anuncia 0-96 km/h em 3,25 segundos, ¼ de milha em 10,5 segundos e uma velocidade máxima limitada eletronicamente a 270 km/h – com o intuito de, segundo a marca, proteger os pneus semi-slick de medida 315/40 R18 NT05R. O novo Challenger SRT Super Stock vem equipado com travões Brembo, diferencial autoblocante assimétrico com afinação de competição e amortecedores adaptativos da Bilstein. Entre os modos de condução, destaque para o modo Track com uma eletrónica específica. Conta ainda de fábrica com Lauch Assist, Launch Control, Line Lock, Torque Reserve, Race Cooldown, SRT Performance Pages e SRT Power Chiller.

Deixe uma resposta

*