Skoda reinventa alguns dos seus modelos clássicos

Skoda 130 RS 2021 View Gallery 15 photos

Entre os “sketches” oficiais está uma reinterpretação moderna do 130 RS.

A Skoda deu liberdade à sua equipa de design para recriar alguns dos modelos mais importantes da sua história. Destas reinterpretações modernas, a que mais nos chamou a atenção foi a do 130 RS, provavelmente o modelo de competição mais conhecido da história da marca checa. Não é à toa que foi conhecido como o Porsche do Leste da Europa. O 130 RS, uma versão de competição do modelo produzido em série 110 R Coupé, venceu o Rali de Monte Carlo na sua classe em 1977. Além de um motor 1.3 de maior rendimento, a debitar 140 cv, este carro de corridas, do qual foram produzidas apenas 200 unidades, tinha parte da carroçaria em alumínio e um arco de segurança. O “sketch” do coupé modernizado conserva as linhas do original, faz a ponte com o passado com o vinco atrás dos vidros traseiros. Por dentro, o painel de instrumentos é subdividido em três zonas diferentes de informação (velocímetro, conta-rotações, temperatura de fluídos, rendimento do motor, etc.).

Outra das reinterpretações mais criativas foi a do 1203, um popular furgão lançado em 1968 na então Checoslováquia. Esta modelo tinha versões de passageiros, comerciais, mas também conversões em ambulância e carro funerário. O motor era um quatro cilindros de 52 cv. O novo 1203 é, segundo o seu designer, feito com base na VW Transporter e está apto a receber uma versão elétrica. O interior é minimalista.

Um dos nomes mais conhecidos da história da Skoda, o Felicia, também foi alvo de uma versão atualizada virtualmente. A primeira vez que a marca checa utilizou esta designação foi num descapotável de duas portas que esteve em produção entre 1959 e 1964. O modelo tinha versões com capota em lona e “hard top” em plástico, com motores de quatro cilindros 1.1 e 1.2. Um elemento visual marcante nesta interpretação moderna é o para-brisas flutuante, que curva para dentro do carro, incorporando o painel de instrumentos e ecrã de infotainment. Destaque ainda para os estofos luxuosos e para a elevação traseira e para o formato do capot que remetem para o modelo original. Foram produzidas 15 mil unidades do Felicia, que foi o último descapotável a ser produzido em série pela Skoda.

Outro nome com história agora recuperado foi o Monte Carlo, que em 1936 participou no Rali de Monte Carlo. Este modelo chegou a ter uma versão de produção, da qual foram feitos 70 exemplares (distribuídos entre o formato coupé e roadster). Esta visão moderna daquele que é considerado por muitos como o “carro checo mais bonito de sempre” é um descapotável de dois lugares com reminiscências para a “art-deco”. Na secção traseira existe uma tampa em vidro que permite colocar dois capacetes de competição. O velocímetro está posicionado ao centro do tablier e o original foi substituído por um holograma.

Por fim, era impossível não homenagear o Laurin & Klement Voiturette A, o primeiro carro a ser produzido na fábrica de Mladá Boleslav em 1905. Este modelo, do qual foram produzidos 44 exemplares, tinha um motor V2 de 7 cv. A versão de 2021 surge com vários detalhes em dourado, como o histórico. Segundo a autora do desenho, este novo modelo de dois lugares é autónomo e pode ser utilizado como meio de transporte para turistas. Esteticamente, realce para o capot pronunciado, posição elevada, bancos tipo sofá e interior minimalista.

Deixe uma resposta

*