Sete modelos muito especiais da Porsche vão a leilão

Porsche 918 Spyder (2014) View Gallery 21 photos

A “Swiss Collection” consiste no 918 Spyder, Carrera GT, 911 GT2 RS (2018), 911 GT2 RS (2010), 911 Turbo Cabriolet, 911 R e 911 Sport Classic.

A RM Sotheby’s anunciou que vai leiloar “online” sete apetecíveis modelos da Porsche durante o mês de fevereiro, mais concretamente entre os dias 19 e 28. Este lote onde constam alguns dos mais raros e desejados modelos da Porsche dos últimos 25 anos pertencem a um colecionador anónimo suíço – que comprou alguns destes carros novos, sendo que todos têm poucos quilómetros no odómetro. Esta coleção consiste num 918 Spyder de 2014, um Carrera GT de 2004, um 911 GT2 RS de 2018, um 911 GT2 RS de 2010, um 911 Turbo Cabriolet de 1995, um 911 R de 2017 e um 911 Sport Classic de 2010.

Como temos de começar por algum lado, eis um 918 Spyder de 2014, que deverá o modelo a arrematar por um valor superior. Este modelo munido de um sistema híbrido de 887 cv (formado por um motor V8 atmosférico ao centro, acompanhado de um motor elétrico à frente e de outro motor elétrico atrás), o 918 Spyder deu uma volta ao circuito de Nürburgring-Nordschleife em 6 minutos e 57 segundos, com o piloto Marc Lieb ao volante. Anunciava 0-100 km/h em 2,6 segundos e uma velocidade máxima de 345 km/h. Este exemplar em particular do concorrente do LaFerrari e do McLaren P1 percorreu apenas 5500 km e vem equipado com alguns extras de relevo, nomeadamente a pintura exterior em Liquid Metal Chrome Blue metalizada que custa 47.600 euros (o suficiente para comprar um 911 novo na época), acompanhado de interiores em couro castanho Mocha e detalhes prateados, além de umas jantes em magnésio do pack Weissach. Apenas foram feitos três exemplares do 918 Spyder com esta configuração. Poderá ser arrematado entre 900 mil e 1 milhão de euros

Outro modelo especial é o 911 Turbo 993 Cabriolet de 1995. Este modelo tem em particularidade de ser um dos 14 que feitos pela divisão Porsche Exclusive. Uma das especificidades desta série é em vez de contar na traseira com o motor boxer 3.6 biturbo do 993 (M64/50) tinha um motor com apenas um turbo do 964, associado a uma caixa manual de cinco velocidades especial (sem pedal de embraiagem, construída pela RUF). Este modelo tem o spoiler traseiro enorme do 964 Turbo, entradas de ar no avental dianteiro e um vão traseiro alargado. Segundo a leiloeira, este exemplar foi encomendado pelo agente de Michael Schumacher, Willi Weber. Surge pintado em preto com jantes e interior a condizer, tendo apenas na capota em castanho o único elemento contrastante. Incorpora também vários detalhes em fibra de carbono, destacando-se o painel de instrumentos, punho da caixa, volante, travão de mão e forro das portas. Estima-se que possa ser arrematado entre 715 e 807 mil euros.

Segue-se um 911 GT2 RS “Weissach” de 2018 que surge numa atraente pintura Azzuro California Metallic e com um interior em dois tons (preto e azul claro). Este exemplar, com menos de 450 km percorridos, ficou com um visual menos “extremo” uma vez que a asa traseira fixa foi removida. Com um motor de seis cilindros boxer 3.8 biturbo a debitar 700 cv e incorporando na sua construção elementos em fibra de carbono e magnésio, o GT2 RS é o mais rápido e mais potente 911 de estrada. Esta espécie de carro de corridas adaptado à estrada é até hoje um dos modelos mais rápidos de sempre a dar uma volta a Nürburgring: 6 minutos e 47,3 segundos. Estima-se que possa ser arrematado entre 360 e 415 mil euros.

As atenções concentram-se também no Carrera GT de 2004, considerado por muitos como o derradeiro supercarro “analógico”, surgindo equipado com um motor V10 naturalmente aspirado de 612 cv associado a uma caixa manual. Inicialmente entregue nos EUA e trazido para a Suíça em 2008, este exemplar do roadster destaca-se também pela cor em amarelo Fayence com interiores em couro Dark Grey. Esta unidade com 16.327 km foi sujeita a uma revisão em março de 2020. Estima-se que este Carrera GT (um de 644 com especificação norte-americana) possa ser arrematado entre 715 e 761 mil euros.

Deste lote de carros faz ainda parte outro 911 GT2 RS, mas de 2010. Esta unidade com exterior com acabamento na cor Carrera White apresenta-se com um interior em dois tons (preto e vermelho). Entre os opcionais, incorpora um sistema de som PCM, o pack Sport Chrono, preparação para telemóvel, apoios do cinto de segurança no pilar B em fibra de carbono, bancos desportivos com o logótipo da Porsche gravado, entradas de ar em fibra de carbono, para-lamas dianteiros em fibra de carbono, farolins traseiros sem máscara e bateria de iões de lítio. Pode ser arrematado entre 369 e 415 mil euros.

Nota também para o 911 R de 2017, um exemplar com apenas 2800 km pintado em Gulf com interiores em couro castanho e revestimentos em tecido quadriculado “pepita”. Além desta rara conjugação, esta unidade possui bancos desportivos adaptativos, volante de massa única, depósito de 90 litros, saias laterais e lava-faróis da cor do exterior. Estima-se que possa ser arrematado entre 304 e 351 mil euros.

O último Porsche desta coleção suíça é um 911 Sport Classic, o 12º de 250 exemplares construídos. Datado de 2010, este modelo surge pintado em cinzento tendo riscas subtis noutro tom de cinza, complementado por um interior em couro e tecido castanho Espresso. O modelo de 414 cv inclui de série a suspensão desportiva PASM, travões carbocerâmicos e bancos desportivos adaptativos. Com apenas 25.600 km no odómetro, poderá ser arrematado entre 286 e 323 mil euros.

Deixe uma resposta

*