e-tron GT é nova referência elétrica da Audi

Audi RS e-tron GT View Gallery 24 photos

Grand turismo, que partilha a plataforma com o Porsche Taycan, foi apresentado nas versões e-tron GT quattro e RS e-tron GT.

A Audi apresentou o seu novo modelo elétrico de referência, o e-tron GT. Feito com base na plataforma J1, a mesma do Porsche Taycan, chega na primavera para já na versão e-tron GT quattro e também na mais potente RS e-tron GT. Ambas contarão com uma configuração de dois motores elétricos (um por eixo), o mesmo pack de baterias e um sistema de tração integral quattro que permite um funcionamento cinco vezes mais rápido devido ao novo sistema elétrico. O e-tron GT quattro debita 350 kW/476 cv (chegando a 530 cv em overboost durante 2,5 segundos) e 630 Nm de binário máximo. A versão RS, por sua vez, chega aos 440 kW/598 cv (extensível a 646 cv e 830 Nm em overboost) – ainda assim valores abaixo do Porsche Taycan Turbo S de 761 cv. Em termos de prestações, o RS e-tron GT acelera de 0 a 100 km/h em 3,3 segundos (4,1 seg. na versão “normal”) e uma velocidade máxima limitada eletronicamente a 250 km/h. Junto ao motor traseiro, o GT conta com uma caixa de duas velocidades (que trabalha com uma primeira relação mais curta em acelerações fortes, por exemplo, em situações de “lauch control”).

O e-tron GT conta com uma bateria de 86 kWh de capacidade e com um sistema elétrico de alta voltagem com 800V, que possibilita carregamentos mais rápidos. A autonomia anunciada é de 488 e 472 km (WLTP), respetivamente. Nesta fase, os e-tron GT dispõem de um sistema de carregamento de 11 kW, sendo que mais tarde está prevista a introdução de um carregador de 22 kW. O carro apresenta duas tomadas de carregamento distintas (uma de cada lado): a da esquerda pode carregar de 5 a 80% do carro em menos de 10 horas (a 11 kW) e em 5h15 (a 22 kW). Com um sistema de carregamento rápido com corrente contínua, com potências até 270 kW, é possível obter o mesmo nível de carregamento em apenas 23 minutos na tomada da direita. O sistema de recuperação de energia possibilita recuperar até 265 kWh. O carro vem equipado com um sistema de eficiência preventiva que gere a carga em função dos dados recolhidos pela navegação e através dos sensores do carro. O condutor poderá controlar o nível de recuperação de energia através de patilhas no volante.

Este novo coupé de quatro portas/grand tourer segue as mesmas proporções do “irmão” Taycan, embora tenha uma personalidade própria já patente do concept de 2018. Com 4,99 metros de comprimento (o mesmo que o A7 Sportback), 1,41 m de altura e 2,90 m de distância entre eixos, o que permite um interior espaçoso, possui um coeficiente aerodinâmico de apenas 0,24. A repartição de pesos ronda os 50:50 e o centro de gravidade é baixo, uma vez que a pisa é colocada no piso. Visualmente, a grelha “singleframe” tapada (que pode, pela primeira vez num modelo da Audi, ser pintada na mesma cor da carroçaria) e farolins traseiros formados por uma tira horizontal em LED (que incorporam um sistema de boas-vindas e de despedida). A variante RS distingue-se pelo diferencial autoblocante traseiro, jantes maiores e aerodinâmicas (de 20 e 21 polegadas, em vez de 19 e 20 polegadas), faróis Matrix (com opção de iluminação laser) e suspensão pneumática adaptativa de série, com três níveis de ajuste (que permite rebaixar a altura em 20 mm e levantar em 22 mm – contribuindo para aumentar a autonomia em 30 km, segundo a marca). Na traseira da versão desportiva destaque para os arcos das rodas mais salientes e para um spoiler traseiro ajustável em duas posições. O RS exibe ainda pinças de travão com 10 êmbolos e discos revestidos a tungsténio. Em opção, existe ainda um conjunto de travões carbocerâmicos. Existe ainda um software para gerar sonoridade no interior e no exterior. A suspensão base é de triângulos sobrepostos, com elementos maioritariamente em alumínio e existe um sistema de quatro rodas direcionais em opção.

No interior, o e-tron GT possui algumas semelhanças com o SUV e-tron. Contudo, o grand tourer possui um tablier com maior profundidade e mais espaço à disposição. As funções concentram-se no ecrã central tátil de 10,1 polegadas, complementado por botões físicos para a climatização, e uma consola central diferente. Existe ainda um painel de instrumentos digital com ecrã a cores de 12,3 polegadas. Grande parte do interior recorre a materiais reciclados, sem utilizar couro (embora haja essa opção). A bagageira anuncia 405 litros de capacidade, sendo que existe ainda um compartimento de arrumação com 85 litros debaixo do capot. Entre a tecnologia, destaque para o sistema de reconhecimento de voz natural, planificação de rotas de navegação em função dos pontos de carregamento disponíveis pelo caminho, cruise control adaptativo, sistema de estacionamento remoto (através de uma app para smartphone) e pack visão noturna.

Deixe uma resposta

*