Há mais Trabant do que Tesla nas estradas alemãs

No último ano foram registadas cerca de mil unidades da mítica marca da antiga RDA.

A imprensa alemã apurou que há um aumento dos registos de modelos da Trabant na Alemanha, apesar de a marca ter fechado as suas portas em 1990. Dados oficiais mostram que foram registadas cerca de mil unidades em solo germânico no ano passado. Estes valores acentuam uma tendência da última década, período no qual foram (re)matriculadas sensivelmente três mil exemplares de modelos da marca da antiga República Democrática da Alemanha (RDA). Ao todo existem neste momento 38.173 “Trabi” em circulação nas estradas teutónicas.

Mais curioso ainda é quando são comparados os números Trabant com os de uma das marcas mais emergentes da atualidade, a Tesla. Ao todo, concluiu-se que há neste momento mais 4 mil Trabant registados na Alemanha do que modelos da marca liderada por Elon Musk – apesar de o país da chanceler Angela Merkel ter triplicado as vendas de modelos “zero emissões” em 2020. Não obstante destes números, estima-se que a Tesla ultrapasse o número de matrículas da Trabant já este ano.

Os modelos da Trabant, que usavam motores de dois tempos, têm sido um objeto de coleção há já alguns anos e têm sido bastante utilizados em “rent a car” ou transporte de turistas – o que motivou uma verdadeira “febre” de importação de várias unidades para a Alemanha. A juntar a isso, aparentemente, a situação da pandemia da Covid-19 levou também que muita gente se dedicasse a restaurar exemplares antigos. A Trabant notabilizou-se por modelos como o 601 (na imagem) e o seu sucessor, o 1.1 – produzidos numa fábrica em Zwickau que, curiosamente, foi comprada pela Volkswagen no início da década de 1990 (e onde hoje produz o elétrico ID.3). A Trabant foi, juntamente a Wartburg e a Barca, uma das marcas mais conhecidas da antiga Alemanha comunista.

Deixe uma resposta

*