Próximo Land Rover Discovery Sport será “eletrificado”

Land Rover Discovery Sport

SUV terá versão elétrica, outra com extensor de autonomia e, possivelmente, uma a hidrogénio.

Um dos modelos que ajudará à mudança de rumo da Jaguar Land Rover (JLR) com vista à “eletrificação” será o próximo Discovery Sport. O SUV da Land Rover, previsto para 2024, será feito com base na nova plataforma EMA. O novo Discovery Sport vai assemelhar-se mais esteticamente ao Evoque, com o qual partilhará a sua base. Esta nova estrutura permitirá ter um piso plano, sendo de prever um ecrã tátil de grandes dimensões, instrumentação digital e um volante ao estilo do Defender. Quanto a motores, a base EMA foi feita em exclusivo para eletrificação, com a possibilidade de incluir um motor por eixo. Segundo a Autocar, além da versão 100% elétrica, está na calha uma versão com extensor de autonomia a gasolina que servirá apenas para carregar a bateria (ao estilo do BMW i3 ou do Mazda MX-30). Outra possibilidade em aberto para mais tarde é uma versão “fuel cell”, que poderá vir a ocupar o lugar do elétrico com extensor de autonomia.

O novo Discovery Sport (na imagem, o modelo atual) contará com um sistema elétrico de 800 V, o que possibilitará carregamentos ultrarrápidos – permitindo obter o equivalente a 100 km de autonomia em menos de cinco minutos de “encosto” na tomada. A JLR traçou ainda o objetivo de consumos baixos para os modelos de base EMA, prevendo uma média de 6,5/7,2 kWh/100 km. A nova arquitetura possibilitará também atualizações “over the air”, um sistema “in-car payment” e aptidão para condução autónoma de nível 4.

Segundo a Automotive News Europe, a próxima geração do Land Rover Discovery, Discovery Sport, Range Rover Velar e Range Rover Evoque utilizarão a base EMA. Já os próximos Range Rover, Range Rover Sport e Land Rover Defender contarão com a plataforma MLA – que era para estrear no novo XJ, e que prevê versões híbridas. A JLR diz que a Land Rover terá seis variantes elétricas nos próximos cinco anos e que todos os modelos da gama terão uma opção elétrica até ao final desta década.

Deixe uma resposta

*