Novos Alfa Romeo elétricos poderão ter variantes Quadrifoglio

Render do futuro Alfa Romeo Giulia elétrico

Ofensiva “zero emissões” começará com o B-SUV Palade, mas está previsto também um novo Giulia elétrico.

A Alfa Romeo vai lançar apenas em meados do próximo ano o seu primeiro modelo “eletrificado”, sob a forma do SUV Tonale híbrido plug-in. Mas a verdade é que a marca de Arese, agora inserida no grupo Stellantis, planeia tornar-se num emblema dedicado em exclusivo a modelos 100% elétricos, a partir de 2027, de forma a conseguir acompanhar a tendência do mercado. O primeiro modelo “zero emissões” da Alfa Romeo será, ao que tudo indica, o SUV do segmento B chamado Palade (até aqui referido como Brennero), a lançar em 2024. Este novo Palade deverá recorrer à mesma plataforma do Peugeot 2008, Opel Mokka e DS 3 Crossback, estando previsto que tenha uma versão híbrida a gasolina com tração integral. Agora, segundo o CEO da marca italiana, Jean-Philippe Imparato, ouvido pela Autocar, a futura gama elétrica deverá continuar a contar no topo da gama com versões com selo desportivo Quadrifoglio. Pelo menos, no caso de alguns modelos, pois, segundo Imparato: “Se eu achar que não consiga oferecer um nível de performance digno de um Quadrifoglio, não farei uma versão Quadrifoglio”.

As novas variantes com o trevo de quatro folhas deverão contar com uma suspensão mais agressiva, travões mais potentes, um kit aerodinâmico mais elaborado e um incremento substancial de potência, de modo a conseguir compensar o peso inerente ao conjunto de baterias. Atualmente, os dois modelos da Alfa Romeo em comercialização, o Stelvio e o Giulia, oferecem versões Quadrifoglio, com base num motor V6 2.9 biturbo com 510 cv e 600 Nm. Outros fortes candidatos a receberem versões elétricas Quadrifoglio são o novo Giulia (na imagem num “render” digital), mas também os novos Spider e GTV. O novo Giulia elétrico será feito com base na plataforma STLA Large, o que possibilitará no mínimo 800 km de autonomia, com baterias entre 101 e 118 kWh de capacidade capazes de carregar o equivalente a 32 km de autonomia por minuto.

De fora parece estar a possibilidade de a Alfa Romeo apostar num SUV com a sigla GTA, ao estilo do Giulia GTA/GTAm.

Deixe uma resposta

*