Emissões poderão condenar Peugeot 308 GT e GTi

Peugeot 308 GTi

Versões desportivas a gasolina devem sair de cena nos próximos meses. Mas já há substitutos à vista.

A PSA apresta-se para retirar do mercado o 308 GT a gasolina e o 308 GTI por necessidade de reduzir a média de emissões de CO2. De acordo com o L’Argus, o 308 GT com motor 1.6 Puretech a gasolina com 225 cv, que emite 133 g/km de CO2, será descontinuado no final de junho. O mesmo destino terá no final do ano o 308 GTi, animado por um motor 1.6 THP de 263 cv, que emite 148 g/km de CO2. Isto significa que o topo da gama ficará entregue ao 308 GT Diesel 2.0 BlueHDi de 180 cv.

Até 2021, os construtores de automóveis serão obrigados a ter uma frota com uma média de emissões de CO2 de apenas 95 g/km (que contrasta com os atuais 130 g/km).

A juntar a esta decisão, com vista a redução ainda mais acentuada dos níveis de dióxido de carbono, a marca de Sochaux vai apostar em listas de opcionais mais reduzidas em todas as gamas. Algo que a PSA deverá instituir em todas as marcas do grupo.

Recorde-se que o 308 GTi já tinha “perdido” 7 cv (apesar de ter ganho 10 Nm) no ano passado, de forma a conseguir cumprir as normas WLTP.

A boa notícia é que a Peugeot não prevê acabar com o 308 GTi, prevendo lançar a nova geração do modelo no próximo ano, alegadamente sob a forma de um híbrido plug-in com uma potência combinada a rondar os 300 cv. A confirmada de desportivos elétricos e “eletrificados” da casa de Sochaux está já confirmada com a chegada do 508 Peugeot Sport com um sistema híbrido de tração integral com cerca de 350 cv, previsto para o outono de 2020. Seguir-se-á em 2021 o e-208 GTi.

Deixe uma resposta

*