Rolls-Royce celebra 100 anos do primeiro voo transatlântico

Rolls-Royce Wraith Eagle VIII Collection View Gallery 11 photos

A edição especial Wraith Eagle VIII Collection é limitada a 50 unidades.

A Rolls-Royce aproveitou a edição deste ano do Concurso de Elegância de Villa d’Este, em Itália, para apresentar uma nova edição especial do Wraith que comemora o primeiro voo transatlântico ininterrupto. A razão desta associação da marca britânica com o bombardeiro modificado Vickers Vimy, aproveitado da Primeira Guerra Mundial, que foi utilizado neste voo, é o motor: uma dupla de Rolls-Royce Eagle VIII 20.3 com 350 cv. Os pilotos, o Capitão John Alcock e o tenente Arthur Brown, debateram-se com problemas no sistema de navegação e rádio durante o percurso, obrigando-os a guiarem-se pelas estrelas, incluindo durante a noite, por entre nuvens densas e nevoeiro gelado. Para simbolizar essa aventura que teve ligou St. John’s (na Terra Nova, Canadá) a Clifden (na Irlanda), o exterior deste Wraith limitado a 50 unidades surge pintado em dois tons de cinzento (Gunmetal com a parte superior em Selby Grey), com acabamentos em preto na grelha e nas jantes parcialmente polidas.

Por dentro, há revestimentos em couro preto e cinzento Selby Grey, assim como várias aplicações em bronze, em alusão ao sextante que ajudou a dupla a chegar ao seu destino, e com inscrições no mesmo tom da distância percorrida (1880 milhas, o equivalente a mais de 3 mil km) e RR nos encostos de cabeça dos bancos. Os painéis que revestem as portas trazem uma citação de Winston Churchill, antigo Primeiro Ministro do Reino Unido e que na altura da viagem pertencia ao exército, enaltecendo a coragem dos pilotos, mas também o motor Rolls-Royce. O tablier é coberto em madeira de eucalipto escurecida com inserções douradas a vácuo antes de ser incrustada em prata e cobre. Há ainda um relógio alusivo à viagem, com um fundo a imitar o efeito de gelo, com detalhes em verde, em alusão às condições atmosféricas com que se debateram os aventureiros.

O elemento mais moderno desta edição é o forro do tejadilho a imitar o céu estrelado, feito em fibra e com 1183 estrelas. Finalmente, a trajetória do voo e as constelações surgem bordadas num fio de latão.

Deixe uma resposta

*