BZ3 será primeiro de cinco modelos elétricos da Toyota

Render do Toyota BZ3 View Gallery 2 photos

Com apresentação prevista para 2021, o SUV de tamanho aproximado ao RAV4 será feito com base numa nova plataforma e-TNGA feita em conjunto com a Subaru.

O CEO da Toyota continua a revelar algum ceticismo face à repentina viragem da indústria para os modelos elétricos. Contudo, o construtor não está disposto a perder o comboio apresta-se para colocar no mercado uma nova família de modelos 100% elétricos. O primeiro avanço será apresentado dentro de poucos meses e, segundo os alemães da Auto Motor und Sport chamar-se-á BZ3 (na imagem, um render gerado por computador com base nas primeiras patentes registadas nos EUA). O novo modelo, de dimensões próximas às do RAV4 (entre 4,60 e 4,65 metros de comprimento), abrirá caminho para uma nova família de modelos BZ que para já será formada por cinco novas gamas de modelos. As denominações registadas incluem as denominações BZ, BZ1, BZ1X, BZ2, BZ2X, até ao número 5. Ao que tudo indica, o “X” é referente a modelos com tração integral. Entre os modelos previstos, está outro crossover mais pequeno, um compacto, uma berlina, um modelo mais familiar e um SUV maior do que o BZ3.

Recorde-se que a Toyota publicou há poucos dias uma imagem teaser oficial deste novo SUV, cuja plataforma modular e-TNGA será desenvolvida em conjunto com a Subaru (que também terá um “irmão” deste BZ3, com o nome Evoltis). Esta base específica para modelos elétricos permitirá produzir configurações de tração dianteira, integral e traseira. O novo SUV elétrico da Toyota será um concorrente direto do VW ID.4, entre outros. Espera-se que o BZ3 seja aposta inicialmente com uma configuração de tração dianteira, com um motor elétrico de 150 kW, embora possa ter uma versão de acesso com 120 kW. A versão BZ3X terá dois motores de 160 kW (um por eixo). As baterias de iões de lítio terão 75 kWh de capacidade, garantindo uma autonomia até 500 km na versão 4×2.

O plano da Toyota implica a aposta em cinco modelos “zero emissões”, embora a meta seja colocar no mercado até 10 modelos até 2025 (seis deles de posicionamento global).

Deixe uma resposta

*