SsangYong poderá declarar insolvência

SsangYong Tivoli

Fabricante sul-coreano poderá ser vendido, após falha de pagamento de prestação de empréstimo ao banco.

A SsangYong está perante uma situação de bancarrota, declarada por um tribunal sul-coreano na passada segunda-feira, após o incumprimento no pagamento de uma prestação de 44 milhões de euros referente a um empréstimo ao banco. O tribunal deu três meses para que o construtor consiga fazer uma reestruturação, negociar com os investidores e chegar a acordo com os credores (onde constam, entre outros, a BNP Paribas, JPMorgan Chase, Bank of America e o Korea Development Bank). O passo seguinte poderá ser a declaração de insolvência.

Tal como a grande maioria das marcas de automóveis, a SsangYong tem sofrido um forte revés financeiro devido à pandemia da Covid-19, embora as suas vendas já estivessem a desacelerar antes deste período. Em 2019, a marca sul-coreana (já há alguns anos sem representação no mercado português) vendeu 132.799 unidades – o que contrasta com as 141.995 do ano anterior. Até novembro deste ano, as vendas cifraram-se nas 96.825 unidades, o que representa uma quebra de 20% face a igual período de 2019.

Nascida em 1954, a SsangYong resulta da união entre a Ha Dong-hwan e a Dongbang Motor, e desde 2011 a Mahindra comprou 74,65% das suas ações. Em abril deste ano, o acionista maioritário indiano cancelou o investimento de 333 milhões de euros na marca e em junho anunciou que estaria à procura de comprador para a SsangYong. Contudo, desde então ainda não houve nenhum investidor ou fabricante a mostrar interesse na compra do emblema sul-coreano – apesar de a imprensa local dizer que o cenário mais provável aponta para a venda da marca.

Deixe uma resposta

*