Novo Mercedes-Benz Classe C traz luxo do Classe S

Mercedes-Benz Classe C View Gallery 46 photos

Todos os motores da geração W 206 são de quatro cilindros e híbridos.

A Mercedes-Benz revelou a sexta geração do Classe C (W 206), que será lançada no próximo verão no formato berlina e carrinha. O modelo mais popular da marca de Estugarda é feito a partir da plataforma modular MRA II (a mesma base de tração traseira do Classe E e do Classe S). O novo C adota um desenho exterior evolutivo, seguindo elementos dos novos Classe A, CLA, CLS e Classe E, com vias mais curtas, uma frente mais angular e nova assinatura luminosa. Os motores de seis cilindros, a suspensão pneumática opcional, faróis de halogénio, a estrela no capot e a caixa manual desaparecem do Classe C.

O novo Classe C tem 4751 mm de comprimento (mais 65 mm do que antes), 1,82 m de largura (mais 10 mm) e 1438 mm de altura (menos 9 mm), além de 2865 mm de distância entre eixos (mais 2,5 cm) – o que se reflete em mais espaço em altura à frente e atrás, e sobretudo para as pernas para os ocupantes dos lugares posteriores. É no interior que as mudanças são mais evidentes, com a adoção de um ecrã central integrado na consola central que varia entre 9,5 e 11,9 polegadas (disposto na vertical, ao estilo do Classe S), tendo uma pequena barra de botões por baixo com atalhos para algumas das funções principais. O painel de instrumentos de 12,3 polegadas é digital e segue o mesmo estilo do que se encontra nos Classe E e S. Quanto à bagageira, tem 455 litros de capacidade na berlina (390 litros no híbrido plug-in) e 490 litros na carrinha (mais 30 litros do que antes) extensíveis a 1550 litros com o rebatimento dos bancos traseiros.

A gama de motores é formada por três opções a gasolina e outras tantas Diesel, todos de quatro cilindros turbo híbridos de 48V. Na base figurará o C180 de 170 cv e 250 Nm, seguindo-se o C200 com 204 cv e 300 Nm – ambos com base num motor 1.5 “mild hybrid”. A versão a gasolina de referência será para já o C300 (com opção 4Matic), equipada com um motor 2.0 (M254), de 265 cv e 400 Nm, capaz de providenciar mais 20 cv e 200 Nm num overboost que dura cerca de 30 segundos. As versões de topo C43 e C63 virão mais tarde também com um quatro cilindros “eletrificado” debaixo do capot. Os consumos variam entre 6,2 e 7,9 l/100 km. A oferta Diesel consiste no C200d de 163 cv e 380 Nm, C220d de 200 cv e 440 Nm (com opção 4Matic) e C300d de 265 cv e 550 Nm – com base num motor OM 654 com 1992 cc (mais 42 cc face ao antecessor) “mild hybrid”, equipado com uma nova cambota e com turbo arrefecido a água. Os consumos variam entre 5,1 e 5,8 l/100 km. No final do ano estará disponível o C300 e, uma variante híbrida plug-in com 313 cv e 550 Nm (com base no referido motor 2.0 a gasolina do C300 mas com o contributo de um motor elétrico de 95 kW/129 cv, alimentado por uma bateria de 25,4 kWh) capaz de rolar até 100 km em modo elétrico. Todos os motores surgem equipados com uma caixa automática de nove velocidades. O W 206 vem equipado com uma nova suspensão de quatro braços no eixo dianteiro e multibraços no eixo posterior. A suspensão pneumática no eixo traseiro é de fábrica, enquanto o sistema de ajuste contínuo do amortecimento e a suspensão desportiva são opcionais. Novidade é o sistema de quatro rodas direcionais que permite rodar as rodas traseiras num ângulo até 2,5 graus, reduzindo o diâmetro de viragem em 43 cm para 10,64 metros.

A nova geração do Classe C vem equipada com um sistema de estacionamento automático e que permite sair de um lugar apertado de estacionamento ou garagem de forma autónoma. Possui também, em opção, os faróis Digital Light que iluminam o passeio dependendo da situação (tal como o Classe S). Ao nível da segurança, o C inclui o cruise control adaptativo, travagem automática de emergência, além dos assistentes de permanência e mudança de faixa.

Deixe uma resposta

*