“Autónomos não anularão paixão pelo automóvel”, diz Jörg Heinermann

Jörg Heinermann, responsável de vendas e marketing da nova marca da Mercedes-Benz para viaturas elétricas, EQ (na foto, o Mercedes-Benz EQ concept), esteve em Portugal para participar no “World Shopper Conference Iberian”, conferência realizada no Centro de Congressos do Estoril, para explicar que a indústria automóvel está a passar por um processo de disrupção, em que “a viatura elétrica ou e-mobility é apenas a primeira tecnologia que está a atingir o mercado”.

Para Heinermann, que foi CEO da Mercedes-Benz Portugal até 2016, a próxima tendência desta disrupção será a dos carros autónomos.

Toda a estratégia da Daimler gira, por isso, em torno do conceito “CASE”, de Connected (conectividade), Autonomous (automação), Shared (partilha de serviços e produtos) e Electric (eletrificação).

À pergunta, se ainda haverá lugar para o prazer de condução com a proliferação da condução autónoma, o nº1 da Mercedes-Benz EQ não hesita: “Absolutamente”.

Heinermann explica: “Continuará a haver mercado para veículos de exclusividade que primam por dar um toque de ‘personalização’ aos seus clientes. Esse apelo pela exclusividade até pode aumentar no futuro, como forma das pessoas demarcarem o seu status das demais”, projeta Heinermann: “O uso exclusivo, ‘premium’, de luxo e diferenciador nunca vai desaparecer. Tal como a paixão pelos clássicos”, diz.

Deixe uma resposta

*