VW investe 44 mil milhões de euros em 50 elétricos

O chairman da VW, Herbert Diess, e o membro do conselho de administração, Hans Dieter Poetsch falaram hoje aos acionistas View Gallery 2 photos

O fabricante alemão anunciou ainda que aplicará 4 mil milhões na China.

A Volkswagen anunciou que investirá 44 mil milhões de euros em mobilidade elétrica, condução autónoma, serviços de mobilidade e digitalização. No plano hoje comunicado, o construtor oficializou que contará com três fábricas a produzir modelos elétricos: Emden (que ficará encarregue a partir de 2022 de produzir modelos pequenos e de tamanho médio para várias marcas do grupo), Hannover (que a partir do mesmo ano passará a construir a família I.D. Buzz – incluindo a nova “Pão de Forma”) e Zwickau (onde atualmente são produzidos o Golf e a Golf Variant e que já em 2019 produzirá os primeiros membros I.D. – tendo estimada uma capacidade máxima de produção de 330 mil elétricos). A reconversão da fábrica de Emden fará com que a produção do Passat seja deslocalizada a partir de 2023 para Kvasiny (na República Checa), partilhando a linha de produção com o “irmão” Skoda Superb e com o Kodiaq. O grupo ainda não decidiu para onde transitará a produção dos próximos Skoda Karoq e Seat Ateca, atualmente feitos em Kvasiny. A VW prevê passar dos seis modelos elétricos atuais para mais de 50 em 2025. O objetivo traçado pelo responsável executivo da marca de Wolfsburg, Herbert Diess, é colocar 15 milhões de carros elétricos nas estradas nesse período – valor que pode chegar aos 50 milhões no total do ciclo da nova plataforma MEB. Os 436 mil postos de trabalho atualmente ligados à produção de modelos Diesel e a gasolina não estão em risco e administração da marca já garantiu esta semana aos sindicatos que apesar das mudanças nas três unidades fabris os seus empregos estão garantidos até 2028.

De acordo com a VW, a parceria com a Ford materializar-se-á no desenvolvimento e produção de comerciais ligeiros. Contudo, os dois “gigantes” têm mantido conversações acerca de um possível alargamento desta parceria a modelos elétricos e autónomos, que poderá resultar na partilha da plataforma MEB da VW com a Ford.

Durante o arranque do Salão de Guangzhou, na China, o presidente do grupo alemão na China aproveitou para anunciar o investimento de 4 mil milhões de euros na China. A empresa prevê fabricar naquele território metade dos mais de 30 modelos “eletrificados” que planeia lançar nos próximos anos. Em 2020, a VW prevê vender 400 mil unidades de modelos “eletrificados” na China – um mercado que representou no ano passado 38,9% das vendas da marca a nível mundial. Esta decisão surge numa altura de disputas comerciais entre a China e os EUA relativas ao setor tecnológico.

Deixe uma resposta

*