Aston Martin estreia SUV DBX com 542 cv

Aston Martin DBX View Gallery 16 photos

Modelo 4×4 com motor V8 4.0 biturbo de origem AMG chega na primavera.

A Aston Martin desvendou hoje em Pequim, na China, o primeiro SUV da sua história, o DBX. O modelo, que segundo as estimativas da marca britânica poderá contribuir para aumentar as vendas em dois terços – com uma média superior a 4 mil unidades por ano -, foi apresentado com o mesmo motor das versões base do Vantage e do DB11, ou seja, um V8 4.0 biturbo (equipado com tecnologia de desativação de cilindros) de origem AMG a debitar 542 cv e 700 Nm, a funcionar em conjunto com uma caixa automática de nove velocidades. Este conjunto permite que o modelo de tração integral e equipado com diferenciais ativos (incluindo um diferencial central ativo e um diferencial autoblocante traseiro que permite a vectorização de binário – com um máximo de 47% no eixo dianteiro) consiga anunciar uma capacidade de aceleração de 0 a 100 km/h em 4,5 segundos e atingir uma velocidade máxima de 291 km/h. Anuncia consumos de 14,3 l/100 km e emissões de CO2 de 269 g/km. O novo SUV da marca de Gaydon é feito com base numa nova plataforma em alumínio, apta a receber “eletrificação”. Tem 5,04 metros de comprimento, 2 m de largura, 1,68 m de altura e uma distância entre eixos de 3,06 m. A mala tem 632 litros de capacidade. Isto significa que o SUV britânico é 74 mm mais baixo e 100 mm mais curto face ao Bentley Bentayga e 20 mm mais baixo do que um Porsche Cayenne. O novo modelo da Aston Martin conta com jantes de 22 polegadas e pneus da Pirelli P Zero, discos de travão de 410 mm com pinças de seis êmbolos no eixo dianteiro e discos de 390 mm atrás. Com lançamento previsto para a próxima primavera, o DBX tem 2245 kg e surge equipado de origem com uma suspensão pneumática com três níveis, recorrendo a um sistema anti-rolamento elétrico com 48V e amortecimento adaptativo eletrónico da Bilstein. Graças a este sistema, é possível elevar a suspensão em 45 mm ou rebaixar 50 mm. O DBX surge com cinco modos de condução: GT (definido por defeito), Sport, Sport+, Terrain, Terrain+ e Individual. A direção é assistida eletricamente.

Visualmente, o DBX é facilmente reconhecível como um Aston Martin, com uma grelha ampla e faróis de formato oval. Existem ainda luzes diurnas em LED de formato retangular com extremidades curvas. A cor escolhida para a apresentação do modelo foi o vermelho, contando, no entanto, com um difusor traseiro, para-choques traseiro e saias laterais em preto para efeitos de contraste. Os farolins traseiros em LED, incorporados numa barra luminosa a toda a largura, são semelhantes aos do Vantage. Atrás, há ainda um spoiler que funciona como prolongamento da linha do tejadilho. No interior, o modelo de cinco lugares é bastante aprimorado, contando com um volante de três raios revestido em couro e com patilhas. Destaque também para o painel de instrumentos com 12,3 polegadas e ecrã central tátil do sistema de infotainment (de origem Daimler – que está no Mercedes-Benz Classe E, por exemplo) com 10,25” – com compatibilidade Apple Carplay de série. Por cima do ecrã estão vários botões que servem para operar a climatização. Na consola central de efeito flutuante, há vários botões e um touch pad que permitem interagir com o sistema de infotainment. Realce ainda para o teto panorâmico em vidro e revestimentos em pele e alcantara – com bancos em couro perfurado. Entre os opcionais, destaque para um conjunto de malas em couro especialmente feitos para este modelo. Ao todo, existe 11 packs de equipamento à disposição.

Os primeiros 500 clientes do DBX têm direito ao 1913 Package, que assinala os 106 anos da marca, acrescentando logótipos e uma placa comemorativa – além de terem sido unidades inspecionadas pelo CEO da marca, Andy Palmer. A gama do novo SUV poderá vir a contar com uma versão híbrida plug-in (com tecnologia Daimler) e uma variante 100% elétrica. O DBX V8 começa nos 193.500 euros no mercado alemão.

Deixe uma resposta

*