VW Golf GTI confirmado para Genebra

VW Golf GTI em testes

Ao contrário do que estava previsto inicialmente, o histórico desportivo não será híbrido e manterá versões de 245 e 290 cv.

A Volkswagen vai apresentar nos próximos meses quatro versões desportivas feitas com base na oitava geração do Golf. Segundo a Autocar, a primeira delas será o Golf GTI que já tem lugar marcado no Salão de Genebra, em março – que deverá partilhar o palco com o Diesel de topo GTD (com motor 2.0 TDI associado a um sistema “mild hybrid”). Seguir-se-ão a versão de referência na gama com tração integral Golf R (com première prevista para a edição deste ano do Festival de Velocidade de Goodwood, em julho – sendo de prever uma versão de acesso com pouco mais de 300 cv e um Golf R Plus com cerca de 350 cv) e o híbrido plug-in GTE (que deverá ser lançado com 245 cv e que mais tarde terá uma variante com 204 cv – ambos com bateria de 13 kWh e autonomia até 69 km).

O novo Golf GTI tem lançamento previsto para o final do ano, e é um modelo onde a Volkswagen não deverá arriscar muito em termos estéticos, sendo de prever uma evolução na continuidade. São de esperar detalhes caraterísticos como as pinças de travão em vermelho, entradas de ar sobredimensionadas, dupla ponteira de escape e detalhes aerodinâmicos que lhe conferem um visual mais agressivo. O atual chairman do grupo VW, Herbert Diess, decidiu reverter a decisão inicialmente tomada pelo seu antecessor Matthias Müller, que queria tornar o Golf GTI num híbrido. Em vez disso, o Diesel optou por manter uma fórmula com resultados comprovados, recorrendo ao “velho conhecido” da geração anterior 2.0 de quatro cilindros turbo a gasolina EA888 desenvolvido pela Audi. Este “hot hatch” de tração dianteira estará disponível numa versão base com cerca de 245 cv (que substituirá o anterior GTI Performance) e numa versão mais “espigada” com 290 cv. O mais provável é que em esta versão de topo venha a envergar o nome Clubsport, em vez de TCR – uma vez que a VW está de saída desta competição. Na versão mais potente, o GTI conseguirá baixar da barreira dos seis segundos nas acelerações de 0 a 100 km/h, tendo uma velocidade máxima limitada a 250 km/h. Será possível escolher entre uma caixa manual de seis velocidades ou de dupla embraiagem DSG de sete.

Ao nível do chassis, o GTI manterá o “set-up” de configuração MacPherson no eixo dianteiro e multibraços no eixo posterior, com combinação com um sistema de amortecimento adaptativo. A grande novidade deverá estar ao nível da direção que promete ser mais direta e comunicativa. O GTI só será lançado no formato de cinco portas.

Deixe uma resposta

*