Lamborghini despede-se dos grandes salões de automóveis

O Sián foi o último Lamborghini a ser apresentado num grande salão internacional

Fabricante de superdesportivos prefere apresentar as novidades em eventos mais pequenos, de modo a estabelecer uma relação de maior proximidade com o cliente.

A edição de 2019 do Salão de Frankfurt, onde foi apresentado o Lamborghini mais potente de sempre o Sián (na imagem), foi o último grande certame internacional a contar com a participação da marca italiana. Em entrevista à Autocar Índia, a responsável de marketing e de comunicação da Lamborghini diz que esse tipo de eventos não está alinhado com a estratégia da casa de Sant’Ágata Bolognese. Katia Bassi justifica que o foco da Lamborghini passará por promover uma relação mais próxima e personalizada com os clientes, envolvendo-os mais no processo. Segundo a italiana, quem vai aos salões raramente são donos ou potenciais clientes da Lamborghini. Ou seja, a decisão da marca italiana nada tem a ver com o cancelamento dos principais salões mundiais devido à pandemia do coronavírus. Mesmo antes de se saber que não se realizaria o Salão de Genebra em março deste ano, já a Lamborghini tinha confirmado que não estaria presente.

Esta decisão dos responsáveis não invalida que a Lamborghini possa participar em salões mais regionais como o de Bruxelas, por exemplo, e claro em eventos históricos como Pebble Beach ou Goodwood. Contudo, as principais ações da marca deverão ser eventos específicos dirigidos a pequenos grupos de clientes.

Bassi tem dados na sua posse que sustentam que o paradigma do cliente da marca está a mudar. Neste momento, 20% dos donos de supercarros da Lamborghini tem menos de 30 anos de idade. E o objetivo da marca italiana é aumentar a percentagem de jovens clientes. Logo, isso exigirá uma relação de maior proximidade.

Deixe uma resposta

*