Designer traz Volvo 240 para os dias de hoje

Render do Volvo 240 View Gallery 2 photos

Modelo virtual recuperar as formas quadradas da emblemática berlina lançada na década de 1970.

O Volvo 240 foi lançado em 1974 e contribuiu decisivamente para imagem de fiabilidade do fabricante sueco. O seu formato quadrado é icónico e ainda hoje é recordado com saudade por muitos. Talvez por isso, o designer Marouane Bembli, igualmente conhecido por TheSketchMonkey, tomou a liberdade de publicar na sua conta no Instagram o seu exercício criativo no qual transpõe o 240 para os dias de hoje – alinhando assim a berlina com os cânones visuais da atual gama sueca. A vincada silhueta de três volumes é aparentemente simplista, quase ao estilo de um iPhone com rodas. O designer acrescentou detalhes modernos como as luzes diurnas em LED, estilo martelo de Thor, que contrastam com a frente austera ao estilo do modelo original. A grelha não sofreu grande mudanças neste 240 moderno, sendo que o maior destaque vai para os apontamentos cromados e em preto, um conjunto de jantes imponentes emprestadas do S90 e ponteiras de escape falsas.

Enquanto os construtores italianos de concentravam em formas elegantes, a Volvo preocupava-se em promover a segurança acima de tudo. Como tal, muito à frente no seu tempo, propôs no 240 um para-choques dianteiro com um formato preparado para amortecer o impacto de peões em caso de atropelamento, portas reforçadas aptas a suster melhor o impacto de outro caso de colisão e o protótipo até vinha equipado com uma câmara de visão traseira. Em caso de acidente, o motor e a caixa de velocidades foram concebidos de maneira a deslizarem para baixo em vez de na direção do habitáculo – evitando assim lesões ou até a morte dos ocupantes. O 240 foi também pioneiro ao incluir uma direção assistida. Como tal, é justo considera-lo um dos carros mais seguros do seu tempo – ao ponto de a marca sueca dizer que costumava receber cartas dos seus proprietários a agradecer por o carro lhes ter salvo a vida após um acidente. Como a prioridade da Volvo não era a performance, o 240 contava com um motor de quatro cilindros a carburador com 100 cv ou até menos nalgumas versões. Motivado pela crise dos combustíveis na década de 1970 a marca foi obrigada a trazer a jogo um motor Diesel de seis cilindros de origem VW. Mas foi na década seguinte que o 240 atingiu o seu potencial máximo, abraçando a sobrealimentação e entrando no universo da competição.

O icónico Volvo deixou de ser produzido em 1993 após quatro gerações. O seu substituto foi o 850, lançado em 1996, ao qual por sua vez sucedeu o S70/V70 até 2000. A atual designação do modelo desta gama é S60/V60.

Deixe uma resposta

*