VW Project Trinity será próximo modelo elétrico de topo

Volkswagen Project Trinity

Feito com base numa nova plataforma, a próxima referência tecnológica da marca alemã visa, por exemplo, democratizar o acesso à condução autónoma.

A Volkswagen está em plena ofensiva de modelos elétricos. Depois do hatchback ID.3 e do SUV ID.4, são esperados a breve prazo a berlina familiar ID.5/Aero e o SUV de sete lugares ID.6. Mas, segundo o CEO da marca Wolfsburg, está neste momento em curso o desenvolvimento de um novo topo de gama para esta gama “zero emissões”. Ralf Brandstätter escreveu na sua página do Linkedin que o modelo, para já conhecido por Project Trinity, será um elétrico “altamente eficiente e com um design icónico”. Pelo que é possível perceber pela imagem teaser entretanto publicada (com o modelo ainda tapado), este desenho gerado por computador aparenta ter uma frente alinhada com a do ID.3 e arcos das rodas pronunciados puxados para fora e uma generosa superfície vidrada.

Previsto para 2026, este modelo (que não se sabe, para já, se pertencerá à família ID e que se pode vir a chamar Aeroliner) funcionará como referência tecnológica da VW, adotando uma plataforma totalmente nova, específica para modelos elétricos. Esta estrutura será baseada num painel fixo plano, o que possibilitará aumentar a sua flexibilidade de utilização e maximizar o espaço no interior. Esta nova base permitirá, segundo o gestor, “mudar radicalmente o processo de produção”, de forma a reduzir os custos e a eficiência em várias fábricas. Nesse sentido, a marca alemã já confirmou que Wolfsburg será “a fábrica pioneira na produção eficiente de modelos elétricos” – com o objetivo de alcançar um volume de produção de 300 mil unidades/ano -, sendo que o próximo modelo de referência Project Trinity estreará este conceito. A nova plataforma deverá incluir elementos da base modular existente MEB, mas com atualizações substanciais a nível de software e dos sistemas propulsores. Para desenvolver a próxima geração de software, a VW criou a divisão Car.Software que empregará mais de 10 mil pessoas em todo o mundo até 2025. O objetivo do grupo germânico é passar de 10 para 60% em termos de volume de tecnologia desenvolvida internamente para os seus modelos. Este software terá diferentes versões, consoante o preço do carro, e poderá ser atualizado “over the air” e contará com um funcionamento similar ao de um smartphone.

Além disso, diz Brandstätter, a nova plataforma possibilitará a “democratização da condução autónoma”. Segundo ele, o Project Trinity contará com funções de condução semiautónoma de nível 2+, que incluem a monitorização do condutor e o cruise control adaptativo. Contudo, esta plataforma estará preparada para adotar mais tarde funções de nível 4, com base nas quais o condutor não precisa de intervir na condução em certas situações.

Com base na informação atual, o Project Trinity parece seguir as pegadas do projeto Artemis da Audi, do qual resultará uma berlina de luxo elétrica em 2024. Entre as novidades deste modelo da marca dos quatro anéis, que terá como concorrente o Mercedes-Benz EQS e o BMW i7, estará a conetividade 5G e funções de realidade aumentada. O Artemis promete ser uma montra tecnológica de até 75 futuros modelos do grupo VW.

Deixe uma resposta

*