Tesla desiste de Model S Plaid+ de 1100 cv

Tesla Model S Plaid

Versão de topo da berlina elétrica prometia 840 km de autonomia e 320 km/h de velocidade máxima.

A Tesla anunciou que não vai avançar com o Model S Plaid+. Inicialmente prevista para setembro deste ano e adiada posteriormente para meados de 2022, a versão mais “extrema” da berlina elétrica não chegará efetivamente a materializar-se. Aliás, as pré-encomendas (cujo número não foi revelado) já tinham sido suspensas em maio. Esta versão Plaid+ prometia 1100 cv (debitados de um trio de motores) e atraiu a atenção por prometer 840 km de autonomia, 320 km/h de velocidade máxima e 1,99 segundos dos 0 aos 100 km/h (“com os pneus certos…”, segundo Elon Musk, o CEO da Tesla). Através do Twitter, o patrão da marca norte-americana justificou que não precisa desta versão pois o Plaid convencional é tão bom quanto o Plaid+. E, realmente, os números não são assim tão diferentes – pelo menos no papel.

Recorde-se que o Plaid normal promete 1020 cv, 628 km de autonomia e os mesmos 320 km/h de máxima. A isso junta uma capacidade para efetuar o sprint de 0 a 100 km/h em 2,1 segundos. Aliás, Musk descreve o Plaid convencional simplesmente como o “carro de produção mais rápido de sempre”. Contudo, isso não será bem assim, uma vez que à luz do que foi anunciado o Plaid terá de bater os 1,85 segundos que o Rimac Nevera precisa para fazer os 0-100 km/h.

O cancelamento do Plaid+ tem, no entanto, repercussões maiores, afetando a produção do Model S convencional, do Semi-Truck e do novo Roadster, equipados com o mesmo sistema de baterias de maior densidade energética.

Deixe uma resposta

*