Desportivo elétrico Piech GT chega em 2024

Piech GT

Coupé de dimensões similares às do Porsche 911 tem 612 cv e já começou o ciclo de testes.

É preciso recuar até ao Salão de Genebra de 2019 para a apresentação ao mundo da Piech Automotive, na altura com o protótipo Mark Zero EV. Agora, após alguns contratempos (sobretudo, provocados pela pandemia de Covid-19), a jovem marca anunciou que já começou a fase de testes no coupé elétrico que, entretanto, rebatizou de Piech GT. Apontou ainda a data de lançamento para 2024 (dois anos depois do inicialmente previsto).

O Piech GT é um coupé de duas portas de 4,432 mm de comprimento, com dimensões similares às do Porsche 911 – o que até faz sentido uma vez que o avô do fundador da marca, Toni Piech, era o lendário Ferdinand Porsche. Contudo, o capot alongado e a traseira curta aproximam-se mais da silhueta do Aston Martin Vantage – fugindo (e de que maneira) à estética que estamos habituados nos carros elétricos modernos. O sistema propulsor é formado por um motor no eixo dianteiro e mais dois no eixo posterior, reunindo um total de 612 cv, o que, segundo a Piech, permite acelerações dos 0 aos 100 km/h em menos de 3 segundos. O GT pesa cerca de 1800 kg, ainda assim um peso abaixo da maioria dos elétricos de caraterísticas similares atualmente disponíveis no mercado. Um dos fatores que contribuiu para isso são as baterias mais leves, com um circuito de refrigeração a ar e passíveis de receber carregamentos mais rápidos, fornecidas pelos chineses da Desten. A Piech diz que as baterias de 75 kW carregam de 0 a 80% em 8 minutos em qualquer carregador CCS2, sendo que providenciam um alcance até 500 km. Não satisfeitos com isso, a Piech está a trabalhar com a companhia TGOOD para desenvolver um sistema capaz de carregar os mesmos 0-80% em 4 minutos e 40 segundos ou o equivalente a 400 km de autonomia. O pack de baterias está posicionado no centro do carro e no eixo traseiro e não no piso do carro, de modo a comprometer a posição de condução baixa e manter a distribuição de peso na ordem de 40:60. A Piech refere que a plataforma do GT é flexível e que pode ser utilizada noutro tipo de carros, tais como SUV e uma berlina de caraterísticas desportivas, que estão numa fase inicial de preparação. Esta base também está apta a encaixar diferentes tipos de propulsão, nomeadamente hidrogénio.

Apesar de ter sido fundada na Suíça, a Piech mudou o escritório de Munique para Memmingen, no sul da Alemanha, de modo a facilitar o acesso a uma pista de testes. O Piech GT será construído na Europa, uma fábrica a anunciar, a um ritmo de 1200 unidades por ano, prevendo vender não só no Velho Continente, como nos EUA e na China. Os preços deverão competir com os do Porsche 911.

Deixe uma resposta

*