Novo Renault Captur terá versão híbrida

Renault Captur View Gallery 15 photos

Feito com base numa nova plataforma, o crossover beneficia sobretudo de um interior mais sofisticado.

A Renault apresentou a segunda geração do Captur, que estará à venda no início de 2020. O crossover é feito com base na nova plataforma CMF-B, a mesma do novo Clio. Conta com 85% de componentes novos face ao antecessor (entre os quais um capot em alumínio e a tampa da mala em plástico), o que lhe permite ser mais leve. Além disso, segundo a marca, a aerodinâmica foi otimizada, está melhor insonorizado e mais eficiente. O novo Captur tem 4,23 metros de comprimento, sendo 100 mm mais comprido face ao lançado originalmente em 2013, com um crescimento de 33 mm a incidir na distância entre eixos, além de ser 19 mm mais largo. Possui bancos traseiros que deslizam longitudinalmente até 16 cm (quando antes era de 12) e uma bagageira com 536 litros de capacidade (mais 81 do que anterior).

Por fora, o Captur traz um visual mais musculado, assumidamente mais SUV, e moderno, com faróis e farolins traseiros em LED a passarem a ser de série em toda a gama. Dependendo do nível de equipamento, é possível ter jantes até 18 polegadas. Em opção é possível incorporar barras no tejadilho e um teto de abrir. No entanto, é no interior onde se percebe melhor que estamos perante uma nova geração, com um reforço de qualidade dos materiais, novos bancos e nova consola central flutuante, que liberta espaço para mais espaços de arrumação (até 27 litros ao todo) e para o carregamento do smartphone por indução. O sistema de infotainment Easy Connect com ecrã de disposição vertical é também novo, com um ecrã de série de 7 polegadas ou opcional de 9,3 polegadas. Compatível com os sistemas Android Auto e Google Carplay, este sistema permite a ligação à internet para buscas no Google Earth, consultar o estado do trânsito e do tempo. O painel de instrumentos de personalizável é de 7 polegadas de série ou em opção de 10,2”. Alguns modelos contam com o sistema de modos de condução Multisense (Eco e Sport). O sistema de som Bose com subwoofer na mala é opcional. Existem 90 combinações possíveis de cores à disposição, entre 11 tonalidades exteriores, 4 de tejadilho e três packs exteriores, a que se juntam 18 ambientes interiores.

No lançamento, o Captur contará com três opções a gasolina (1.0 TCe de três cilindros turbo com 100 cv, e um 1.3 TCe de quatro cilindros turbo de 130 cv e 155 cv) e duas Diesel (1.5 BluedCi com 95 e 115 cv). Dependendo da escolha do motor, há caixa manual de cinco e seis velocidades e de dupla embraiagem de sete. Até ao final do primeiro trimestre de 2020 está previsto que chegue o Captur híbrido plug-in com base num 1.6 de quatro cilindros a gasolina com dois motores elétricos e uma bateria de 9,8 kWh, a funcionar em conjunto com uma caixa de variação contínua. Em modo elétrico anuncia uma autonomia de 45 km, sendo possível alcançar 134 km/h de velocidade máxima. O Captur E-Tech possui o sistema de pedal único para acelerar e travar. Apesar de os números ainda não serem oficiais, deverá debitar cerca de 150 cv.

Deixe uma resposta

*