Próximo Porsche 911 vai receber motores maiores

Porsche 911 Turbo

Quem o diz é Frank-Steffen Walliser, responsável máximo pelos veículos de produção da marca germânica.

A Porsche é um dos construtores que atribui mais importância à manutenção da sua tradição e o melhor exemplo disso é o 911. Nos últimos anos, a marca com sede em Estugarda tem vindo a diminuir o tamanho dos motores do icónico modelo de forma a respeitar as normas relativas às emissões de CO2. Contudo, o responsável máximo pelos veículos de produção da marca germânica, Frank-Steffen Walliser, prevê que no futuro a situação se irá inverter.

Segundo refere, “em 2026 chegará a mais exigente vaga de diretrizes relativas às emissões, que será absolutamente contraprodutiva porque obrigará as marcas a colocar um limite de potência por cada litro de cilindrada”. Assim sendo, Walliser explica que existirá a necessidade de construir motores maiores para corresponder ao nível de potência que procuram. Esta situação originará, simultaneamente, um investimento ainda maior em tecnologias anti-poluição que também contribuirão para o aumento de cilindrada dos motores. O responsável acrescenta que a Porsche quer manter os tradicionais motores de seis cilindros no 911 e, portanto, vai ter de aumentar a sua cilindrada, “algo extremamente complicado no modelo em causa, mas vamos procurar encontrar soluções”. Isto significa que também as versões mais potentes com motores naturalmente aspirados deverão ser descartadas em detrimento das versões sobrealimentadas.

Por essa razão, não será uma surpresa que os próximos 911 de entrada na gama passem a utilizar um motor sobrealimentado. Quanto às versões desportivas naturalmente aspiradas, como o GT3, o responsável admite que, “eventualmente, chegará o dia em que teremos de produzir o último da sua espécie”. Ainda assim nem tudo são más notícias, a Porsche promete continuar a equipar os modelos com caixas manuais enquanto houver procura.

Deixe uma resposta

*