SUV elétrico chinês Xpeng G3 já chegou à Europa

Xpeng G3 View Gallery 19 photos

Equipado com uma bateria de 66 kWh de capacidade, novo modelo promete uma autonomia até 450 km (WLTP). Principal aliciante: o preço.

O fabricante de carros elétricos Xpeng chegou este mês à Noruega, como porta de entrada para o restante mercado europeu. Para já foram apenas as primeiras 100 unidades do G3, um SUV compacto 100% elétrico, a desembarcarem no país escandinavo. Contudo, durante 2021, a start-up chinesa alargará a sua atividade aos principais mercados europeus, colocando em prática um plano de implementação no mercado ocidental a médio-prazo.

O G3 vem equipado com uma bateria de 66 kWh de capacidade que promete uma autonomia até 450 km (WLTP), além de possibilitar carregamentos rápidos (CHAdeMO) entre 30 e 80% em meia hora. Com 1637 kg, o SUV possui um motor elétrico de 145 kW/197 cv e 300 Nm que lhe permite anunciar 0-100 km/h em 8,6 segundos. Outro dos cartões de visita do modelo com cerca de 4,50 metros de comprimento (o mesmo que um VW Tiguan) é ter recebido cinco estrelas nos “crash tests” C-NCAP. Contudo, o seu principal atrativo será, por ventura, o preço: a começar nos 34 mil euros na Noruega para a versão Smart. A versão de topo Premium, que arranca nos 36 mil euros, já inclui bancos ventilados e tablier revestido em couro e uma câmara de 360 graus extensível rotativa montada no tejadilho. A bagageira do G3 tem 380 litros de capacidade (que pode chegar aos 760 litros com o rebatimento dos bancos traseiros). Destaque ainda para o ecrã central tipo tablet com 15,6 polegadas disposto na vertical e para o painel de instrumentos digital.

Além do G3 (que começou por estrear no CES de 2018), a Xpeng (pronuncia-se ÄxPang), já cotada na Bolsa de Nova Iorque, tem ainda em carteira a berlina de ambições desportivas P7, prevista para os próximos 12 meses. Esta berlina promete uma autonomia até 700 km. O P7 e o G3 partilham a plataforma tipo skate SEPA, altamente apoiada em tecnologia – utilizando “chips” de gigantes globais como a Qualcomm ou a Nvidia. Os 12 sensores de radar ultrassónicos, as oito câmaras de alta definição e os três sensores de radar de frequência extremamente elevada, permitem-lhe anunciar capacidade para condução autónoma de nível 2.5 e aptidões para estacionamento sem intervenção do condutor – esta última função apenas disponível, para já, devido à legislação atual apenas na China. A juntar a isso, o sistema operativo permite efetuar atualizações “over the air”.

Deixe uma resposta

*