Ford garante continuidade do Mustang

Ford Mustang Mach 1

“Pony car” vai sobreviver pelo menos mais uma geração, apesar de os SUV e pick-up venderem mais.

Há poucos anos, a Ford decidiu prescindir dos modelos de passageiros nos EUA (onde se inclui o Fiesta, Focus, Taurus e Fusion) para investir em força em SUV e pick-up. A obsessão dos americanos por estes formatos é tão grande que até o primeiro modelo elétrico da marca da oval azul, um SUV, chama-se Mustang Mach-E. E isto é também revelador do peso que o nome Mustang continua a ter para os responsáveis da marca – apesar de Jason Castriota, o responsável global dos modelos elétricos da Ford ter reconhecido à Road and Track que isso não resultará com todos os tipos de carros.

Atualmente, o Mustang (na imagem, o Mach 1) é, efetivamente, o único modelo de passageiros produzido pela marca de Dearborn nos EUA. Como tal é normal que do ponto de vista financeiro se questione a continuidade de projetos menos lucrativos como o desportivo Mustang. Contudo, apesar de ficar a perder em termos de vendas para o Dodge Challenger, o responsável de produto da marca norte-americana garantiu à Ford Authority a continuidade do “pony car” pelo menos por mais uma geração. Jim Owers justificou que apesar de os desportivos representarem apenas 1,2% das vendas em toda a indústria e do “boom” dos SUV, “o Mustang continua a ser o desportivo mais vendido em todo o mundo há vários anos”. Só nos EUA, território onde os preços começam nos 26.670 dólares (21.710 euros) foram vendidas 51.756 unidades do Mustang.

Com apresentação prevista para 2022 e lançamento agendado para 2023, a próxima geração do Mustang, conhecida pelo nome de código S650, será produzida em Flat Rock (Michigan, EUA), tal como o modelo atual – o de sexta geração, que tem um posicionamento global. Especula-se que o próximo modelo contará com uma plataforma específica adaptada da CD6 (utilizada no Explorer, entre outros). Na calha está com opções “mild hybrid” e plug-in, com versões de tração traseira e integral. A versão de topo será um Mustang com motor V8 híbrido plug-in acompanhado por dois motores elétricos de colocação dianteira. O objetivo da Ford Performance é criar um modelo mais sofisticado, equipado com um sistema de vectorização de binário que permitirá melhorar significativamente o comportamento dinâmico do coupé comparativamente com o antecessor. Visualmente, a silhueta caraterística do “muscle car” será mantida, sendo que continuará também a estar disponível no formato coupé e descapotável. O interior será praticamente replicado do elétrico Mustang Mach-E. Outra novidade será a inclusão de um cruise control que permitirá conduzir em modo semi-autónomo em autoestrada.

Isto significa que o Mustang atual S550 terá ao todo um ciclo de produto de oito anos – o que ajudará a recuperar o dinheiro investido para torna-lo lucrativo, cobrindo os custos de engenharia e desenvolvimento.

Deixe uma resposta

*