SUV elétrico Mercedes EQA tem mais de 400 km de autonomia

Mercedes-Benz EQA View Gallery 25 photos

Versão de apresentação com tração dianteira EQA 250 vem equipada com um motor de 190 cv.

A Mercedes-Benz revelou hoje o seu modelo elétrico de acesso, o EQA. Disponível a partir da primavera, trata-se de um SUV derivado da mesma plataforma do GLA, embora com algumas alterações (ajustando determinados componentes de modo a que a bateria se posicione no piso do carro para formar um elemento estrutural). Inicialmente, o primeiro modelo “zero emissões” compacto da marca de Estugarda terá a versão EQA 250, que conta com um motor dianteiro com 190 cv e 375 Nm, possui uma autonomia homologada até 426 km (WLTP). Esta versão do SUV de 4,46 metros de comprimento anuncia 0-100 km/h em 8,9 segundos e uma velocidade máxima limitada a 160 km/h. A bateria de iões de lítio com 66,5 kWh de capacidade utilizáveis, protegida por uma estrutura em alumínio, arrefecida a líquido e com cerca de 500 kg, pode carregar a 100 kW, permitindo alcançar 80% de carga em cerca de meia-hora. Com um carregador AC a 11 kW (de série) enche de 0 a 100% em 5h45. A bateria tem 8 anos ou 160 mil km de garantia. O condutor poderá modificar a intensidade da travagem regenerativa através de patilhas no volante com quatro níveis. A isso junta ainda um modo Eco.

Visualmente, o EQA conta com uma grelha específica formada por um painel em preto EQ, além de faróis e farolins com uma tira contínua. Os faróis full-LED de série estão interligados através de um filamento em fibra ótica que percorre toda a dianteira. Atrás, a tampa da mala foi redesenhada comparativamente com o GLA, com a placa de matrícula a ser encaixada no para-choques, o que permite que os farolins fiquem unidos por uma barra luminosa. Destaque também para as jantes com desenho específico, disponíveis até 20 polegadas e com possibilidade de desenho bicolor ou tricolor (com detalhes em ouro rosa ou azul). O coeficiente aerodinâmico é de 0,28.

Por dentro, o EQA difere menos do GLA, acrescentando detalhes em ouro rosa nas saídas ventilação, nos bancos e na chave, além de luz ambiente adicional. Existe uma Edition 1 (no primeiro ano de comercialização) com couro especial perfurado conjugado com tecido azul. O painel de instrumentos foi redesenhando, passando a incluir funções específica para o modelo elétrico, recebendo igualmente apontamentos em azul e ouro rosa. A possibilidade de rebatimento dos bancos traseiros na proporção 40:20:40 disponível no GLA mantem-se neste EQA. Em termos de tecnologia, o SUV elétrico dispõe de um sistema de gestão térmica com uma bomba de calor que permite aproveitar o calor do sistema propulsor. Entre o equipamento de série destaque para a função “Navegação com inteligência elétrica” que possibilita calcular a rota mais rápida, utilizando simulações tendo em conta se for necessário fazer paragens para carregamento, mas também elementos tais como o clima, trânsito e estilo de condução. Além do mais, é possível pré-aquecer ou arrefecer a bateria com o carro em movimento de modo a atingir a temperatura ideal antes de uma carga rápida. Entre a tecnologia de fábrica consta o sistema ativo de permanência na faixa de rodagem, assistente ativo de travagem e um pack assistência à condução que emite um aviso caso detete peões perto de uma zona com passadeiras. Destaque ainda para o sistema de máximos automáticos, abertura elétrica da mala, jantes de 18 polegadas, luz ambiente com 64 cores, câmara de marcha-atrás, bancos com quatro níveis de ajuste lombar, a que se juntam os packs AMG Line, Electric Art e Night Package. O painel de instrumentos e o ecrã central de infotainment são de 7 polegadas de série, podendo em opção ser de 10,25”. A bagageira do EQA tem 340 litros de capacidade, menos 95 que o GLA.

Mais tarde, o EQA contará com mais versões, incluindo uma versão 4×4 (com dois motores – um por eixo), mais de 272 cv e uma variante com autonomia superior a 500 km.

Deixe uma resposta

*