VW prepara renovação do T-Roc para 2022

VW T-Roc facelift render View Gallery 2 photos

SUV fabricado em Portugal seguirá a mesma orientação estética do Tiguan e manterá a versão desportiva T-Roc R.

A avaliar pelas vendas um pouco por toda a Europa (158.638 unidades em 2020), o T-Roc é atualmente um dos modelos mais importantes da Volkswagen. A marca de Wolfsburg está agora a preparar a introdução de um facelift no SUV produzido na Autoeuropa, em Portugal. A renovação da gama, que também aplicada ao Cabrio e ao T-Roc R, poderá ser mostrada ainda este ano e será comercializado na primeira metade de 2022. A imagem gerada por computador publicada pela Motor.es mostra o caminho que o SUV renovado T-Roc poderá seguir. As mudanças serão residuais, mas visíveis: por exemplo, os faróis dianteiros de formato retangular passarão a contar com um apêndice que se prolonga até às aletas dianteiras e a luz diurna em LED passará a estar integrada nas barras cromadas na grelha. Acima de tudo, o T-Roc renovado parece aproximar-se do novo Tiguan, com os para-choques a manterem os detalhes decorativos nas extremidades, integrando uma luz em LED – o que implica prescindir dos faróis de nevoeiro.

Na traseira, a VW irá manter quase tudo na mesma, aplicando apenas farolins redesenhados, que passarão a ser em LED em todas as versões, e um para-choques reconfigurado com ponteira(s) de escape integrada(s). Na segunda imagem (num “render” publicado pelos franceses da Auto Moto) é possível ver como poderá ser a versão mais “apimentada” T-Roc R que deverá subir para 320 cv (como no Golf R).

No interior é esperada a utilização de melhores materiais no tablier e nos painéis das portas. A juntar a isso, o T-Roc adotará novas funcionalidades no sistema de infotainment com um novo ecrã tátil com “feedback” háptico, um novo volante, um conjunto de sistemas de assistência à condução mais modernos IQ.

A nível mecânico não estão previstas grandes novidades, excetuando a introdução de sistemas “micro híbridos”, de modo reduzir os consumos e emissões de CO2. Isto significa que deverão manter-se as apostas nos motores a gasolina 1.0 TSI de 110 cv e 1.5 TSI de 150 cv, além do Diesel 2.0 TDI de 115 cv.

Deixe uma resposta

*