Morreu o criador do “buggy” de praia Meyers Manx

Meyers Manx View Gallery 3 photos

Piloto, “hot rodder”, surfista, inventor e veterano de guerra, Bruce Meyers criou o Manx Dune Buggy em 1967. Morreu aos 94 anos.

Morreu Bruce Meyers, o criador do Meyers Manx em 1967, o “buggy” de praia mais famoso do planeta que foi copiado por várias gerações – estima-se que haja cerca de 300 mil buggies de praia no mundo hoje em dia -, e um dos fundadores das corridas de Baja. Meyers tinha 94 anos e morreu de uma doença do sangue chamada síndrome mielodisplásica. Nascido em Los Angeles (EUA), Meyers cresceu a surfar nas praias californianas de Hermosa Beach e Manhattan Beach. Quando acabou o liceu, alistou-se na marinha mercante e foi para a marinha durante a Segunda Guerra Mundial. Quando regressou da guerra, Meyers frequentou o Chouinard Art Institute, especializando-se em desenho anatómico, enquanto em paralelo ia surfando e enveredou pelas corridas de todo o terreno. Para poder andar à vontade nas areias que tanto gostava, o norte-americano pegou em 1964 num “hot rod” Ford de 1932 para o qual projetou uma carroçaria específica em fibra de vidro para conceber o seu primeiro Manx – nome em homenagem ao gato de cauda curta com o mesmo nome.

Em 1967, Meyers criou a sua equipa “Old Red”, com a qual um dos seus buggies em fibra de vidro correu a Mexican 1000 na Baja Peninsula. Conseguirem percorrer 1340 km fora do asfalto entre La Paz e Tijuana no tempo recorde de 34h45 – batendo em cinco horas o registo anterior que tinha sido obtido por uma moto. Foram competições desta natureza que abriram caminho para corridas míticas como a Baja 1000. Foi a partir daí que Meyers criou 12 “dune buggies” idênticos, na sua oficina em Newport Beach. Nesse processo, optou por utilizar como base um VW Beetle. Infelizmente, Meyers não ia conseguindo dar conta do número de pedidos que lhe iam chegando, o que motivou o aparecimento de cerca de 70 empresas a copiar o seu buggy. Incapaz de conseguir defender a sua patente em tribunal, Meyers acabou por desistir de fabricar o seu Manx em 1970, dedicando-se à construção de barcos e à conversão de carros em descapotáveis (incluindo um Rolls-Royce) durante mais de duas décadas. Em 1994, Meyers e a sua mulher Winnie fundaram o Manx Dune Buggy Club para testar a recetividade do mercado para o lançamento de um novo buggy. Acabaram por arriscar numa série limitada a 100 unidades Manxster 2+2, um modelo de quatro lugares que esgotou em poucas semanas em 1999.

Em 2020, o Meyers Manx que Steve McQueen conduziu no filme “The Thomas Crown Affair” foi arrematado em leilão por quase meio milhão de dólares. Nos últimos 20 anos da sua vida, Meyers e a sua esposa mantiveram-se ativos em clubes Manx, visitando fãs. No final do ano passado, Meyers vendeu a sua empresa à marca à Trousdale Ventures, uma empresa especializada em mobilidade com sede no Texas.

Deixe uma resposta

*