Porsche pode voltar à F1 se for adotado combustível sintético

F1

Mudança de regulamentos em 2025 poderá fazer o grupo VW entrar na competição com equipa oficial ou como fornecedor de motores.

A Porsche está a equacionar o regresso à Fórmula 1 em 2025 caso sejam adotados combustíveis sintéticos, quando forem postos em práticas novos regulamentos no que diz respeito aos motores, segundo Fritz Enzinger, o patrão da Porsche Motorsport, em declarações à BBC Sport. Há já algum tempo que a marca pertencente ao grupo Volkswagen está a avaliar uma forma de entrar na competição de automóveis mais mediática do mundo, na condição de fornecedor de motores. Aliás, a Autocar garante que a marca de Zuffenhausen está a trabalhar num motor 1.6 híbrido com especificação para F1, que deverá ser utilizado também num hipercarro.

Caso não se confirme o ingresso na F1 com uma equipa oficial, a Porsche poderá optar por ser apenas fornecedor de motores. Red Bull, McLaren e Williams estão entre os principais candidatos a receber os referidos motores.

A organização da F1 está empenhada em que o e-fuel seja uma peça fulcral das novas regras, de forma a reduzir a pegada carbónica, mantendo os motores de combustão interna na equação. A F1 quer alcançar a neutralidade carbónica até 2030.

Recorde-se que a Porsche já se comprometeu com os combustíveis sintéticos para os seus próximos modelos de estrada já a partir de 2024, incluindo no 911. O eFuel está a ser desenvolvido por consórcio que envolve ainda a Siemens, AME, Enel e ENAP, além da ExoonMobil, com vista à produção em larga escala. Os combustíveis sintéticos são feitos a partir da formação de cadeias de hidrocarbonetos, fruto da reação do hidrogénio na água com o dióxido de carbono presente na atmosfera. Desta forma, o dióxido de carbono resultante do processo da queima do combustível é o mesmo que é utilizado na produção, fazendo com que não aumente a quantidade de gás na atmosfera.

A Porsche está neste momento envolvida na competição de carros elétricos Fórmula E e empenhada em construir um protótipo de um hipercarro híbrido da categoria LMDh para disputar as 24 Horas de Le Mans em 2023.

Recorde-se que a Porsche correu na F1 entre 1957 e 1962, sendo que o seu último sucesso foi quando Dan Gurney venceu o Grande Prémio de França aos comandos de um 804. O regresso da marca alemã à competição ocorreu em 1983, quando forneceu motores V6 à McLaren. Desta parceria resultaram três títulos de pilotos e dois de construtores entre 1984 e 1986. Em 1991, a Porsche ainda esteve meio ano (e sem sucesso) na condição de fornecedor de motores à equipa Footwork.

Deixe uma resposta

*