Mercedes-AMG EQS chega ainda este ano

Mercedes-Benz Vision EQS View Gallery 3 photos

Em causa está uma variante desportiva com cerca de 600 cv da berlina topo de gama 100% elétrica.

A Mercedes-AMG apresentou ontem mais detalhes acerca da nova geração de modelos híbridos plug-in E-Performance, que terão derivações com base num motor V8 e outras com recurso a um 2.0 de quatro cilindros turbo. Outra informação importante é que a divisão desportiva da marca de Estugarda confirmou que irá lançar ainda este ano o primeiro modelo 100% elétrico feito com base numa plataforma específica da sua história. Em causa estará uma variante do EQS (que será oficializado no próximo dia 15 de abril) com dois motores elétricos (um por eixo, o que possibilitará ter um sistema de tração às quatro rodas totalmente variável e com vectorização de binário) capazes de atingir até 18.000 rpm, acelerações de 0 a 100 km/h “bem abaixo” dos 4 segundos e uma velocidade máxima de cerca de 250 km/h. De acordo com a Mercedes-AMG, a performance deste seu primeiro EQ será comparável aos atuais modelos com motor V8 – como tal é de esperar um débito de potência a rondas os 600 cv. Para se diferenciar dos Mercedes-Benz convencionais, a casa de Affalterbach apostará na bateria maior do EQS com 108 kWh de capacidade, em travões maiores, numa afinação específica da suspensão adaptativa AMG Ride Control+, incluindo um sistema de recuperação de energia i-Booster inspirado em tecnologia utilizada na F1. Este sistema combina a recuperação de energia com travagem hidráulica. A isso juntará elementos específicos no interior e no exterior dos modelos, além de uma sonoridade específica a sair das colunas em vez do som natural do motor a combustão. O sistema elétrico de 400V permite carregamentos rápidos até 200 kW e o uso de uma tomada trifásica de 22 kW.

Apesar de esta versão AMG (na imagem o protótipo Vision EQS) ter a perspetiva de vir opção de referência da berlina elétrica porta-estandarte da marca alemã não se deve equiparar aos modelos 63. Antes sim, algo equivalente aos modelos 35, 43 ou 53. Nesta política de “eletrificação” da gama AMG, os híbridos plug-in serão para já os modelos de topo, com a promessa de mais de 800 cv nas versões 73e. A aposta na eletrificação total da AMG será para continuar. Embora a marca da estrela admita que possa vir a ter uma gama completa de modelos “zero emissões” apenas quando a tecnologia o permitir – algo que poderá demorar mais de uma década a concretizar-se.

Além do EQS AMG, está na calha uma variante desportiva do EQE e do EQG (uma adaptação elétrica do Classe G).

Recorde-se que a AMG já teve uma experiência com um supercarro elétrico em 2014, o SLS AMG Electric Drive de 740 cv – feito a partir do SLS convencional.

Deixe uma resposta

*