Próximo Mercedes-AMG E63 terá motor de quatro cilindros

Mercedes-AMG E63 S

Apesar do “downsizing”, novo conjunto eletrificado de base 2.0 será mais potente do que o atual V8.

A Mercedes-Benz já começou a testar protótipos da próxima geração do Classe E convencional (W214), mas a novidade mais importante desta gama totalmente deverá vir na versão de topo E63 com selo AMG. Segundo a Autocar, o próximo E63 prescindirá de atual sistema V8 4.0 biturbo em troca de um novo sistema híbrido plug-in baseado num quatro cilindros – um conjunto que fará a sua estreia no C63 no próximo ano com 557 cv. Assim, o novo E63, esperado na primeira metade de 2023, deverá combinar um motor 2.0 de quatro cilindros em linha (M139), colocado na longitudinal, com um turbo elétrico e integrado num sistema “mild hybrid” com atua com auxiliar de potência e como motor de arranque. A esse motor térmico, que individualmente debita 449 cv, o conjunto propulsor junta um motor elétrico com mais de 200 cv no eixo traseiro que surge acoplado a uma caixa automática de duas velocidades. Este conjunto terá uma potência máxima de 652 cv, contando de série com uma caixa automática AMG Speedshift MCT de nove velocidades e com um sistema de tração integral 4Matic específico para modelos AMG. Este valor de potência combinada do novo E63 contrasta com as 612 cv na versão E63 S atual. Espera-se que o novo E63 “eletrificado” venha equipado com uma bateria de 28,6 kWh, a possibilitar cerca de 100 km de autonomia em modo elétrico.

A nova base do Classe E é construída com base na otimização, trazendo uma versão atualizada do sistema elétrico para apoiar o módulo híbrido e incorporar funções que permitem condução semiautónoma de nível 3, juntando ainda sensores LiDAR de auxílio aos sistemas de segurança (tal como o Classe S) e conetividade 5G. A restante gama E contará com motores de quatro e seis cilindros (um 3.0 turbo a gasolina com um máximo de 440 cv e um 2.9 turbodiesel até 334 cv), com opções “mild hybrid” e híbridas plug-in, além da versão elétrica EQE. Visualmente, o novo Classe E seguirá as pisadas no novo Classe S W223, tendo já confirmadas as versões carrinha e carrinha “radical” All-Terrain. Por dentro, espera-se mais espaço, devido às vias mais largas e maior distâncias entre eixos (apesar de o novo E continuar a ser feito com base na plataforma MRA), além de uma dupla de ecrãs digitais. O novo E terá ao seu dispor uma configuração de suspensão dianteira de triângulos sobrepostos e traseira multibraços com opção pneumática. As quatro rodas direcionais permitirão rodar as rodas traseiras num ângulo até 10 graus. Acima do E63 está previsto o E63 S para 2024.

Apesar deste “downsizing” nas versões de topo dos Classe C e E, a Mercedes-AMG não abandonará o motor V8, que continuará numa versão híbrida no novo GT 63S E Performance de quatro portas com expressivos 843 cv.

Deixe uma resposta

*