Seat testa condução autónoma de nível 3 com protótipo Diana

Protótipo Seat Diana

Através de uma aplicação, o protótipo pode recolher o passageiro num determinado local, levá-lo para o seu destino ou procurar estacionamento, de forma 100% autónoma.

A Seat apresentou um protótipo de um carro com capacidade de condução autónoma de nível 3 – o que significa que o condutor pode largar o volante para o carro fazer algumas manobras, mas sem desviar a atenção dos acontecimentos. O protagonista deste projeto piloto é um Leon FR rebatizado de Diana (uma referência à Deusa romana). Este exemplar especial foi desenvolvido em conjunto com o Automotive Technology Center of Galicia e já está a realizar os primeiros testes em estradas fechadas ao trânsito (em Martorell) e em parques de estacionamento. Este protótipo vem equipado com cinco sensores LiDAR, cinco radares, seis câmaras, 12 ultrassons e oito computadores, que lhe permitem traçar uma vista 360 graus em redor da viatura. Este sistema permite controlar todos os aspetos dinâmicos da condução de forma independente, nomeadamente a direção, a velocidade e a zona envolvente do carro, sem que seja necessário o condutor intervir.

Na prática, a Seat está a desenvolver três funções com base nesta tecnologia: o “chauffeur” autónomo, o “valet parking” automático e chamar o carro. A primeira assegura que o condutor já não terá de fazer nada no para-arranca a baixas velocidades. Na segunda, o carro é capaz de encontrar um lugar para estacionar e realiza a manobra sem intervenção do condutor. A última, provavelmente a mais interessante, prende-se com o carro apanhar alguém num ponto A e levá-la a um ponto B, com recurso a uma app do smartphone. Quando chega ao destino, o carro abre as portas para deixar a pessoa entrar. Esta última função, enquadrada na condução autónoma de nível 5, ainda não é permitida em estradas públicas.

A juntar a isso, segundo a marca espanhola, este sistema permitirá reduzir acidentes e engarrafamentos, entre outras coisas.

Deixe uma resposta

*