F1 cancela Grande Prémio da Rússia

Pilotos no último Grande Prémio da Rússia de Fórmula 1

Organização decidiu retirar do calendário da próxima temporada a prova de Sochi, na sequência da invasão à Ucrânia.

A Fórmula 1 anunciou o cancelamento do G.P. da Rússia para a temporada de 2022, em resposta à invasão da Ucrânia. A organização ainda não confirmou se essa vaga no calendário (25 de setembro) será ocupada por outra prova, mas a Turquia é um dos cenários mais prováveis – uma vez que, por causa da pandemia de Covid-19, viu a realização da corrida ser cancelada por dois anos consecutivos.

Esta decisão surge numa conversa com as equipas e os patrocinadores, que consideraram assim ser “impossível” realizar uma corrida na Rússia face às atuais circunstâncias. Antes disso, já pilotos como Sebastian Vettel (da Aston Martin) adiantaram-se dizendo que se recusariam a correr perante um cenário deste tipo. O campeão do mundo Max Verstappen e o diretor da sua equipa, Christian Horner, alinharam pelo mesmo diapasão, dizendo que não estão reunidas as condições para avançar com um evento desportivo.

A decisão da F1 surge depois de a UEFA ter cancelado a final da Liga dos Campeões de futebol de São Petersburgo, mudando o jogo decisivo para o Stade de France, em Paris (França).

Este fim de semana, a F1 está a realizar testes de pré-temporada em Barcelona. A equipa da Haas já retirou o patrocínio da Uralkali (empresa de produtos químicos cujo chairman é Dmitry Mazepin, o pai do piloto Nikita Mazepin e um conhecido apoiante de Vladimir Putin). O jornal Guardian avança que o lugar do piloto poderá estar perigo face às sanções vigentes e a saúde financeira da equipa está ameaçada.

Na sequência da invasão da Ucrânia, o VTB, o segundo maior banco russo e principal patrocinador do G.P., viu os seus bens congelados no Reino Unido.

Deixe uma resposta

*