Lotus junta-se à Williams para novo supercarro

Render da Autocar mostra como poderá ser o supercarro da Lotus

A marca britânica anunciou que investirá em tecnologia a aplicar num modelo elétrico que custará 2,3 milhões de euros.

A Lotus não lança um carro novo desde 2008, mas agora que os destinos do emblema está nas mãos do chineses da Geely, a mesma que comanda a Volvo, há um conjunto de planos ambiciosos na calha. A novidade mais recente consiste no anuncio da parceria com a Williams Advanced Engineering com vista à pesquisa e desenvolvimento de sistemas propulsores elétricos. O resultado desta investigação será aplicado num supercarro para já conhecido como Omega (provavelmente em alusão ao histórico modelo desportivo da Opel lançado em 1989 feito em colaboração com a Lotus). Segundo a Autocar (que aproveitou para elaborar um esboço do que poderá ser o novo modelo), estará em causa um modelo com mais de 1000 cv, que custará 2,3 milhões de euros, no qual a Williams contribuirá sobretudo com o know-how ao nível dos motores e baterias adquirido no carro de Fórmula E – disciplina na qual está envolvida desde 2014.

O sistema propulsor do carro consistirá em pelo menos dois motores elétricos (um por eixo, o que lhe permitirá ter tração integral). Contará com um avançado sistema de recuperação de energia e carregamento rápido por indução, além de uma autonomia superior a 400 km. O novo supercarro só deverá chegar ao mercado daqui a dois anos.

A parceria entre a Lotus e a Williams poderá alargar-se a outros modelos e sistemas propulsores “eletrificados”. No plano de lançamentos estará um sucessor espiritual do Esprit, previsto para 2020, e um SUV, para 2022.

Deixe uma resposta

*