Bugatti prepara berlina com base no Taycan

Bugatti 16C Galibier Concept

Previsto para 2023, o Royale poderá contar com três motores elétricos para um débito total de 882 cv.

A especulação em torno de uma berlina da Bugatti perdura desde que em 2009 foi apresentado o protótipo 16C Galibier (na imagem). Chegou mesmo a estar prevista uma versão de produção para 2014 ou 2015, com o nome Royale (também conhecido como Type 41 – um dos maiores carros de todos os tempos, com 6,40 metros de comprimento, que teve uma produção limitada a sete exemplares, entre 1927 e 1933), mas a marca de Molsheim acabou por cancelar o projeto para concentrar esforços no desenvolvimento do Chiron. Em 2016, no rescaldo do escândalo Dieselgate, o CEO da Bugatti na altura, Wolfgang Dürheimer, disse que a produção do modelo voltou à discussão. O desenvolvimento mais recente da história foi dado agora pela Car Magazine que adianta que o Royale poderá vir a ser produzido em 2023. Contudo, não se espere um motor W16 8.0 como no concept de há uma década. Está previsto que a berlina seja totalmente elétrica e que partilha a sua plataforma J1 com o Porsche Taycan, que será lançado em setembro deste ano.

O novo modelo de quatro portas da Bugatti será alegadamente bastante maior que o Porsche (4,85 metros), passando a barreira dos 5 metros de comprimento. O objetivo será fazer o pináculo dos carros de luxo, com um uso intensivo de elementos em fibra de carbono, de modo a manter o peso o mais baixo possível. O novo Royale será inspirado no modelo original mas também integrará elementos do Chiron, entre outras criações mais recentes da Bugatti, apostando em força na elevada personalização. Esta berlina revivalista contará com um sistema propulsor formado por três motores elétricos, para um total de 882 cv (em vez dos 600 cv do Taycan), um sistema de tração integral, baterias sólidas, um sistema de condução autónoma de nível 4 e um serviço de “concierge” digital. Fala-se para já de um preço a começar nos 700 mil euros, um valor acima dos concorrentes Bentley Mulsanne e Rolls-Royce Phantom. É possível que o Royale surja com outros formato de carroçaria, podendo assumir além da configuração de berlina de quatro portas a de um fastback de cinco portas.

Recorde-se que no início deste mês o responsável executivo da Bugatti Automobiles, Stephan Winkelmann, disse à Bloomberg que a marca está empenhada em desenvolver um modelo elétrico focado “numa utilização quotidiana” e que oferece um “equilíbrio entre performance e conforto”.

Deixe uma resposta

*