Mercedes EQS terá ecrã com 141 cm de largura

Mercedes MBUX Hyperscreen View Gallery 9 photos

Dividindo-se em três zonas, o painel curvo e panorâmico MBUX Hyperscreen estende-se por todo o tablier, de modo a proporcionar experiência equivalente ao cinema.

Não é todos os dias que um “ecrã” de um carro é motivo de notícia. Acontece que o MBUX Hyperscreen que a Mercedes-Benz acaba de apresentar não é um ecrã qualquer. Trata-se sim do próximo interior futurista que estreará ainda este ano na berlina elétrica de referência EQS, embora apenas como opcional. Descrito como um sistema “big in-car cinema” (uma experiência à semelhante à do cinema), o Hypersceen é um painel em plástico curvo panorâmico com 141 cm de largura, feito de uma única peça que se estende por todo o tablier. O sistema encontra-se subdividido em três zonas/ecrãs: um para a instrumentação (que proporciona uma vista tridimensional), outro para o sistema de infotainment e climatização e outro apontado ao passageiro da frente. Os dois últimos utilizam tecnologia OLED (o que permite melhor imagem) e têm “feedback” háptico – com 12 motores elétricos/atuadores a ajudarem a proporcionar esse efeito. Segundo o fabricante, este painel reduz os reflexos e é fácil de limpar, além de ser mais resistente comparativamente com os ecrãs em vidro. A luz ambiente, integrada na zona inferior, índice de forma a dar a sensação que o Hyperscreen está a flutuar e as saídas de ventilação analógicas são incorporadas em cada uma das extremidades do painel.

O sistema operativo deste ecrã XXL é uma evolução do que se encontra no novo Classe S. O recurso à inteligência artificial (AI) possibilita que possa “aprender” com o utilizador, ao guardar as preferências do utilizador e sugerir de forma personalizada algumas funções sempre que “julgue” necessárias. Exemplos disso são a utilização da função de massagem e de aquecimento dos bancos. Além disso, o carro memorizará as coordenadas do GPS, caso o condutor assim o entenda, uma zona na qual a suspensão precisou de ser elevada para evitar uma lomba ou enfrentar um troço com mau piso. Esta tecnologia não tem qualquer tipo de menus escondidos, o que evita que o utilizador perca tempo a fazer “scroll”, necessite de perder tempo em submenus ou até utilizar os comandos por voz para chegar ao pretende. Ao todo o sistema utiliza oito processadores, tendo à disposição 24 gigabytes de RAM para melhor responder às necessidades.

A maioria das funções do MBUX da primeira geração mantem-se concentrada no ecrã central (que se estima poderá ter 20 polegadas), nomeadamente a navegação, rádio, multimédia e funções do smartphone. Contudo, há mais 20 novas funções à disposição que podem ser acedidas com ajuda do sistema AI.

O passageiro da frente poderá configurar até sete perfis diferentes. Quando o lugar do “pendura” não está ocupado esse ecrã é preenchido com uma animação decorativa com estrelas – com vista a reduzir as distrações do condutor.

Nas imagens da apresentação do Hyperscreen é também possível ver pela primeira vez o volante do EQS.

Além da berlina EQS, esta sistema deverá também estar disponível no EQS SUV previsto para 2022.

Deixe uma resposta

*