Jaguar será marca 100% elétrica em 2025

Futuro da Jaguar é 100% elétrico

A “irmã” Land Rover também começará a enveredar pelo mesmo caminho, tendo o primeiro modelo “zero emissões” previsto para 2024.

A Jaguar Land Rover (JLR) anunciou que vai encetar uma ofensiva elétrica nos próximos cinco anos com o lançamento de seis novos modelos “zero emissões”. O dado mais interessante, no entanto, tal como confirmou o recém-empossado responsável executivo do grupo britânico, Thierry Bolloré, é que a Jaguar dedicar-se-á a produzir em exclusivo modelos 100% elétricos a partir de 2025 – tal como se tinha falado em 2018. A onda de modelos movidos exclusivamente a eletricidade também será transposta para a Land Rover, cujo primeiro modelo elétrico está previsto para 2024. Assim, estão previstos para já cinco novos modelos elétricos da Jaguar e um da Land Rover. Segundo as estimativas da JLR, em 2030, todas as gamas do grupo contarão com uma variante totalmente elétrica. Nessa altura, pelas previsões do fabricante, cerca de 60% das vendas dos seus carros serão de modelos puramente elétricos.

Os planos para tornar a Jaguar num emblema 100% elétrico são complexos e passam, por exemplo, pela suspensão do projeto da berlina de topo XJ no formato 100% elétrico – que tinha a sua apresentação prevista para este ano. Este anuncio surge rodeado de alguma surpresa, uma vez que este projeto é dos poucos elétricos que estavam confirmados para os próximos anos para se juntar ao SUV I-Pace, o único modelo elétrico atualmente da gama Jaguar. Isto não significa que o nome XJ esteja arredado de vez da gama britânica, podendo regressar em breve com recurso a uma nova plataforma modular para modelos elétricos. Já os restantes membros da gama atual, o XE, XF, E-Pace e F-Pace, deverão ter substituto diretos até 2025. Segundo o comunicado da marca, a estratégia passa por apostar em modelos de visual emocional e em tecnologia de referência para a Jaguar.

No caso da Land Rover, a gama manter-se-á apoiada nas famílias Range Rover, Discovery e Defender. O objetivo passa por conservar a forte apetência para fora de estrada nos seus modelos embora tentando puxar as propostas num sentido que lhe confiram um estatuto mais “upmarket”.

A nova estratégia puramente elétrica da JLR apoiar-se-á em três plataformas sendo que a Land Rover utilizará a atual MLA para os seus modelos híbridos plug-in e a EMA para propostas 100% elétricas (a produzir em Halewood). Já a Jaguar recorrerá a uma plataforma específica, para produzir exclusivamente em Solihull, juntamente com os carros de base MLA. A fábrica de Castle Bromwich, onde atualmente são feitos os Jaguar XE, XF e F-Type, será reconvertida em breve para produzir a nova vaga de elétricos. Esta diferenciação, segundo Bolloré, permitirá fazer modelos com “personalidades” diferentes entre as marcas. O comunicado diz ainda que esta ofensiva elétrica permitirá ao grupo manter em funcionamento as suas fábricas no Reino Unido e no continente europeu.

Juntamente com os novos planos para “eletrificar” as suas marcas, a JLR anunciou que investirá fortemente na tecnologia de pilha de combustível. Prova da ambição do grupo é que os primeiros protótipos de modelos movidos a hidrogénio estarão em testes de estrada daqui a sensivelmente um ano. A JLR prevê tornar-se numa marca de “neutralidade carbónica” em 2039. Ainda nesse sentido, Bolloré afirma que a JLR quer descontinuar os motores Diesel em 2026.

Deixe uma resposta

*