SCG 007 LMH a caminho de Le Mans

Scuderia Cameron Glickenhaus 007 View Gallery 8 photos

Hipercarro com motor V8 fez o “shakedown” com Romain Dumas ao volante. Contudo, a equipa norte-americana vai falhar o arranque do WEC em Portimão.

A Scuderia Cameron Glickenhaus revelou o novo 007, com o qual vai correr na recém-criada categoria de topo de hipercarros LMH já este ano. Após um apurado processo de vários meses desenvolvimento, a equipa realizou o “shakedown” do carro ao circuito italiano de Vallelunga, deixando ver o carro pela primeira vez. Quem rodou com o carro foi o experiente piloto francês Romain Dumas, vencedor das 24 Horas de Le Mans, e Franck Mailleux, que ao longo de 20 voltas testaram elementos como a direção, transmissão e novo motor. O novo SCG 007 conta com um pack aerodinâmico agressivo que inclui uma asa traseira proeminente e uma barbatana de tubarão, além de uma cova no tejadilho, uma frente protuberante e arcos das rodas pronunciados no eixo traseiro.

O motor do novo modelo que correrá na temporada de 2021 do WEC, que passará por Portugal, será um V8 3.5 biturbo desenvolvido pelos franceses da Pipo Moteurs. Este motor sem recurso a qualquer tipo de “eletrificação” (ao contrário do que a SCG chegou a equacionar fazer no início) conta com cabeças do motor oriundas de carros do WRC e possui um acelerador com um sistema de “inteligência artificial” que permite manter os turbocompressores em “spool” independentemente da aceleração. Recorde-se que os modelos integrados na categoria LMH estão limitados a 680 cv, sendo que equipas como a Toyota estão a apostar para o efeito num sistema híbrido com base num V6 3.5 biturbo.

A SCG contará com duas equipas na competição, com os pilotos Richard Westbrook, Romain Dumas, Franck Mailleux, Olivier Pla, Pipo Derani, Ryan Briscoe e Gustavo Menezes. O próximo passo para a equipa será preparar o carro para as 24 Horas de Le Mans, agendadas para 12 e 13 de junho, uma vez que a equipa já confirmou que não marcará presença nos testes de pré-temporada, que serão realizados em Portimão a 30 e 31 de março, e que antecedem a primeira prova em solo português agendada para 4 de abril. A ausência do arranque do WEC justifica-se pelo atraso na homologação dos carros, provocados pela Covid-19. Recorde-se que desde 1967, altura em que o Ford GT40 venceu as 24 Horas de Le Mans, que não há nenhuma equipa oficial norte-americana a correr no WEC.

Tal como os regulamentos obrigam, a SCG terá de construir um lote limitado de versões de estrada do protótipo 007 LMH. O preço destes modelos “road legal” arrancará nos 1,74 milhões de euros.

Deixe uma resposta

*