Porsche afina 911 Turbo híbrido em Nürburgring

Porsche 911 Hybrid

Versão “eletrificada” foi “apanhada” em testes pela primeira vez. Pesa mais 100 kg que o modelo convencional.

A ideia de um 911 híbrido não é novidade, pois no início de 2020, Michael Steiner, o responsável pelo departamento de pesquisa e desenvolvimento da Porsche, tenha assumido que já existiam alguns protótipos nesse sentido. Contudo, segundo ele, “ainda não estamos satisfeitos em termos de peso para um carro desportivo como o 911”. Sabe-se para já que o híbrido pesa mais 100 kg face ao modelo convencional. Agora, a principal notícia é que um dos referidos protótipos do 911 híbrido cumpriu o seu primeiro teste em Nürburgring, na Alemanha. Apesar de à primeira vista parecer um 911 Turbo normal, este protótipo surge com um pequeno autocolante amarelo no vidro traseiro que o identifica como um modelo “eletrificado”. Nota também para os vidros escurecidos que “escondem” o local onde são encaixadas as baterias (entre os bancos da frente e o motor).

Para já, sabe-se que o 911 híbrido utilizará um sistema elétrico de 400V. No protótipo não é visível nenhuma tomada de carregamento na carroçaria – o que poderá indiciar que as baterias poderão carregar através da regeneração da travagem. Neste momento existem várias hipóteses em estudo acerca da possível “eletrificação” do 911, estando em cima da mesa a opção “mild hybrid” e a de um plug-in – o que poderá fazer toda a diferença entre um modelo para o coração ou para o topo da gama. Seja como for, o módulo híbrido do 911 será 100 mm mais compacto face ao que é utilizado nas versões PHEV do Cayenne e do Panamera, o que abre espaço na zona posterior da caixa para encaixar o motor elétrico. Esse motor elétrico em forma de disco deverá ser integrado na caixa de velocidades, que será de dupla embraiagem e oito velocidades, tal como nas versões híbridas do Panamera. Já as baterias deverão ser encaixadas na dianteira, de modo a otimizar a distribuição de peso. O modelo “apanhado” sugere que está em preparação um 911 híbrido de topo, ao estilo 911 Turbo S E-Hybrid. Ao que tudo indica, o novo 911 com assistência elétrica terá 700 cv e 1000 Nm. Fala-se ainda que estará em preparação um 911 GT3 RS “eletrificado”.

Há alguns meses, Frank Walliser, o responsável pelo projeto 911, reconhecia que “eletrificar” o icónico desportivo pode ser muito complexo, sem comprometer o conceito original, uma que se trata de um modelo com uma configuração de 2+2 lugares com mala à frente e motor traseiro. O patrão da Porsche, Oliver Blume, citado pela Bloomberg, diz que o 911 híbrido vai apenas avançar no final do atual ciclo de produto do 911 992 em 2026. “Vamos ser claros que o nosso símbolo, o 911, terá durante muito tempo um motor térmico. O 911 é um carro cujo conceito é feito em redor do motor de combustão interna. Não faz sentido combiná-lo com a mobilidade puramente elétrica. Acreditamos em carros especificamente desenvolvidos para a mobilidade elétrica”, sublinha Blume. Apesar disso, o 911 “zero emissões” deverá mesmo ser aposta em 2030.

Deixe uma resposta

*