Designer cria SUV inspirado no Lancia Beta Montecarlo

Lancia Beta Montecarlo render

Icónico modelo de dois lugares e motor central traseiro foi convertido num SUV de formato coupé.

A recuperação de ícones do passado é uma tendência inegável de inspiração. Desta vez, o designer independente David Obendorfer resolveu brincar com a possibilidade de adaptar aos dias de hoje o Lancia Beta Montecarlo (de 1975). Acontece que em vez do modelo de dois lugares com motor central traseiro este protótipo puramente virtual foi reconvertido num SUV de formato coupé e com motor dianteiro. Apesar disso, a nova encarnação do Montecarlo vai buscar muitas semelhanças com o modelo original, sobretudo na secção dianteira em preto. O formato dos vidros laterais também segue o mesmo estilo do icónico modelo da Lancia, com uma barra preta a acompanhar a queda do vidro traseiro. O formato coupé é também similar ao do Beta Montecarlo. Este modelo desenhado por computador tem 4,54 metros de comprimento, 1,85 m de largura, 1,56 m de altura e 2,68 m de distância entre eixos – longe do coupé original de 3,81 m de comprimento e 1,19 m de altura. O designer apoiou a sua criação na plataforma EMP2 e em particular criou uma versão híbrida plug-in.

O Lancia Beta Montecarlo foi um projeto original da Fiat, para ser um “irmão” maior do X1/9, que utiliza a mesma plataforma. Quando a Pininfarina acabou o processo de desenvolvimento, a Fiat não quis avançar com a produção do modelo de motor central, tendo o projeto transitado para a Lancia que o lançou em 1975. Apesar de não ter tido uma má prestação comercial, o carro deixou de ser feito em 1978. O Beta Montecarlo teve também uma carreira na competição, com uma versão Grupo 5 turbo e com o 037 Rally. A versão de estrada regressou na década de 1980, mas o modelo agora conhecido apenas por Montecarlo, com um novo visual e um vidro lateral adicional, acabou por vender pouco, condenando-o após dois escassos anos no mercado.

Agora com o estatuto de emblema premium no grupo Stellantis, a Lancia vai renovar o Ypsilon em 2024 e apostar num Delta elétrico em 2026, altura em que se converterá num fabricante exclusivamente dedicado a carros elétricos.

Deixe uma resposta

*