Vem aí o novo Mercedes-AMG GT

Mercedes-AMG GT Coupé

Prevista para 2023, a nova geração do coupé partilhará a plataforma com o novo SL.

O novo AMG GT foi “apanhado” em testes pela primeira vez no Círculo Polar Ártico. Na segunda geração, com chegada aguardada para 2023, o desportivo de Estugarda estará disponível apenas no formato coupé, com a versão roadster a ser substituída pelo novo Mercedes-AMG SL, modelo com o qual partilha a plataforma MSA (Modular Sport Architecture).

Conhecido também pelo nome de código C 192, o novo AMG GT foi desenvolvido pela divisão desportiva da Mercedes-Benz tendo por base um chassis spaceframe em alumínio, que emprega também aço, magnésio e materiais compósitos, permitindo um aumento da rigidez em 50%. O AMG GT traz o motor e a transmissão na dianteira, uma solução que liberta espaço para encaixar um sistema de tração integral e de direção ativa às quatro rodas, além de colocar o motor e os eixos numa posição mais baixa. O chassis apoia-se em molas convencionais em combinação com amortecedores ativos e um diferencial de deslizamento limitado eletrónico. Em termos visuais, o GT será aproximado do novo roadster SL, embora com a caraterística curvatura coupé no tejadilho, integrando também um vidro lateral de pequenas dimensões atrás das portas. As diferenças deverão ser sobretudo no formato dos faróis, na grelha do radiador, na parte inferior do para-choques, além das jantes e cores exteriores específicas. Já por dentro, serão quase impossíveis de distinguir. Espera-se que o novo GT adote alguns elementos do hipercarro One.

A gama de motores do SL deverá também ser replicada no GT. No coração da oferta estará um motor V8 4.0 biturbo disponíveis em diferentes níveis de potência, com destaque para a versão 53 com 476 cv e para a 63 com 585 cv, ambos acoplados a uma caixa automática Speedshift de nove velocidades da AMG. Esta dupla permitirá atingir velocidades máximas superiores a 300 km/h. Para mais tarde estará reservada a versão 73 um plug-in híbrido de base V8 com mais de 800 cv. Resta saber se a Mercedes-AMG apostará em versões de quatro cilindros nalguns mercados, uma vez que a plataforma assim o permite.

Deixe uma resposta

*