VW admite avançar para ID. Beetle

Render do VW ID.Beetle da autoria de Christian Schulte

Herbert Diess não descarta também a possibilidade de uma pick-up elétrica.

Há já algum tempo que subsistem os rumores de um possível regresso do Beetle sob a forma de um elétrico. Agora, foi o próprio CEO da Volkswagen, Herbert Diess, a admitir durante um fórum de utilizadores e fãs da marca, organizado pela Reddit, que este cenário é uma possibilidade. Segundo Diess, “o modelo mais emocional da nossa história é sem dúvida a Pão de Forma (que terá como sucessora espiritual o ID. Buzz que será lançado este ano). Foi a minha prioridade de recuperar um ícone do passado. Mas, sim, é possível fazer outros modelos emocionais com a nossa plataforma modular MEB”. Diess classificou o Beetle de um modelo “fácil de modificar, pequeno e divertido”, mas apesar de ser uma aposta em cima da mesa, o seu lançamento comercial não deverá materializar-se a curto ou médio-prazo.

Já em 2018, o responsável de design da marca de Wolfsburg, Klaus Bischof, deixou em aberto o cenário de integrar o Beetle na família de elétricos ID. Segundo ele, graças à referida base, “seria possível ter muito espaço a bordo, sem comprometer a funcionalidade. Poderá ser um modelo atrativo”, reconheceu Bischof na altura. Na mesma altura, o homem do design confirmou que tinha desenhado alguns esboços de um Beetle de quatro portas de base MEB, deixando de parte a possibilidade de um coupé ou mesmo de um cabrio – uma vez que, segundo ele, são modelos de nicho, que vendem muito pouco. “Se fizermos um Beetle elétrico, será muito melhor do que o antigo e muito mais próximo do conceito original, porque há a possibilidade de ter tração traseira”, acrescentou Bischof que, no entanto, adiantou que a prioridade é apostar em modelos de grande volume e só depois haverá margem para carros emocionais. Acerca do risco de o Beetle poder canibalizar a dupla ID.3 e ID.4, Bischof foi taxativo dizendo que “na VW é tradição haver dois ou até três modelos no mesmo segmento”.

É bom não esquecer que a VW registou as patentes de vários nomes no outono de 2020, que confirmam as teses de revivalismo e não apenas do “e-Beetle”, pois há registo do “e-Karmann”, “e-Golf Classic”, “e-Kübel” e “e-Thing”.

Durante o referido fórum, Diess deixou ainda em aberto a possibilidade de poder vir a ser lançada uma pick-up elétrica específica para o mercado norte-americano, admitindo que se trata de uma “boa ideia”. Este cenário coloca-se num segmento compacto, com um modelo de dimensões similares às da Amarok.

Deixe uma resposta

*