Fábricas suspensas devido ao coronavírus

Fábrica da Ferrari

Ferrari, FCA e Ford, já suspenderam a produção. Autoeuropa já cancelou dois turnos.

A Ferrari decidiu encarrar as fábricas de Maranello e de Modena até 27 de março devido ao coronavírus. A marca italiana confirmou que teve de suspender a produção devido à falta de componentes (incluindo do fabricante de travões Brembo que suspendeu a produção nas suas quatro fábricas em solo transalpino). Como tal, nos casos em que tal seja possível, os empregados continuarão a trabalhar num regime de teletrabalho. A Scuderia Ferrari, a equipa de F1, também suspendeu a sua atividade operacional.

Esta decisão surge alguns dias após a Lamborghini ter decidido fechar os escritórios e a fábrica em Sant’Agata Bolognese pelo menos até 25 de março, igualmente devido à propagação do Covid-19.

Entretanto, pelo mesmo motivo, a FCA (Fiat Chrysler Automobiles) também decidiu fechar a maioria das suas fábricas na Europa até 27 de março. Em causa estão as seis fábricas em Itália, em Melfi, Pomigliano, Casino, Mirafiori, Grugliasco e Modena, mas também na Sérvia e na Polónia.

Recorde-se que em Itália já houve mais de 24 mil casos de contágio com o vírus.

A Ford também decidiu fechar por uma semana a fábrica de Valência, após três funcionários terem sido diagnosticados com o coronavírus. A fábrica onde é feito o Kuga ou o Mondeo, emprega mais de 7 mil trabalhadores.

Com efeito, a pandemia já teve repercussões na fábrica da VW Autoeuropa onde já foram suspensos dois turnos de produção (o da noite e o da manhã), mantendo-se apenas um deles em funcionamento. Esta segunda-feira, a administração da fábrica onde é produzido o VW T-Roc anunciou que o volume de produção diária em Palmela cairá de 890 para 744 unidades por dia, devido à falta de funcionários. Apesar de ainda nenhum funcionário apresentar qualquer sintoma, sete dos mais de cinco mil funcionários da fábrica estão em quarentena preventiva.

Deixe uma resposta

*