Mazda admite fazer MX-30 com motor rotativo

Mazda MX-30

Objetivo é utilizar o motor Wankel como extensor de autonomia já em 2021.

Há já alguns anos que a Mazda anda à procura de uma forma de fazer regressar o motor Wankel. Em 2013 apresentou um protótipo de um Mazda 2 RE com um pequeno motor rotativo de 330 cc capaz de acrescentar 130 km de autonomia a um modelo animado de base por um motor a gasolina. Bem mais recentemente, no Salão de Paris de 2018, os responsáveis do construtor japonês admitiram estar a trabalhar nesta tecnologia, adiantando que teria o papel de extensor de autonomia para um modelo elétrico. Agora, no âmbito da comemoração dos 100 anos da sua fundação, em que a marca nipónica aproveitou para lembrar o seu primeiro desportivo, o RX-7 – lançado em 1978, precisamente o modelo que estreou o motor Wankel – os responsáveis da Mazda admitiram oficialmente que o motor rotativo poderá regressar como extensor de autonomia no MX-30 a partir de 2021 (apesar de a versão normal ter lançamento previsto até ao final deste ano).

O novo SUV elétrico de 143 cv (na imagem, ainda na versão concept) parece ser a base ideal para a Mazda encaixar a tecnologia Wankel (que saiu de cena com o RX-8) dado que os engenheiros da marca acreditam que o futuro não passa por pack de baterias maiores do que as de 35,5 kWh, num modelo que já pesa 1700 kg. Desta forma, apesar de admitirem que os pouco mais de 200 km de autonomia (WLTP) que o MX-30 anuncia são mais do que suficientes para a vida em cidade e para 80% das utilizações, os responsáveis da marca japonesa devem ter na tecnologia do motor rotativo uma solução para viagens maiores.

O novo extensor de autonomia pode ser a solução da Mazda para “eletrificar” todos os seus motores a combustão (mais concretamente 95% da gama) até 2030. O pequeno motor rotativo, “uma solução compacta, leve e silenciosa”, segundo a marca, será capaz de funcionar a gasolina ou GPL.

Deixe uma resposta

*